segunda-feira, 30 de dezembro de 2019

FELIZ ANO NOVO ?

Nesta época do ano as pessoas se abraçam, se felicitam e desejam uns aos outros um ano novo cheio de esperanças em um mundo melhor. Porém, isso fica só no desejo. A tendência real é que com o passar dos anos as coisas apenas piorem devido ao grau de extremo descaso político que a sociedade é vítima frequentemente.

Aqui em Jundiaí a situação é ainda mais dramática. O grupo político que tomou de assalto o poder há 40 anos não se cansa de enganar a população com dois objetivos: O de se perpetuarem no comando político do município e de usarem o poder público para favorecer aos seus inúmeros negócios particulares.

Assim sendo, a cidade foi gradativamente sendo dominada por pessoas incompetentes, fracassadas em sua vida privada, muitos desonestos e outros meros aproveitadores do que o poder pode oferecer.

Diante desta realidade, atiram diariamente na cara da população uma cidade imaginária, com uma eficiência pública que não existe na prática. Para atingirem o seu intento, cooptaram todas as instâncias de poder do município para respaldarem este devaneio.

A última cantilena é uma pesquisa que encomendaram cujo resultado diz que Jundiaí é uma das melhores cidades do Brasil para se viver.

Tudo mentira. Esta pesquisa, é claro, foi feita levando em conta os índices econômicos, sociais e de infraestrutura da Av. 9 de Julho, do Jardim Brasil, do Jardim Ana Maria e dos condomínios fechados.

A periferia e as favelas não foram incluídas nesta pesquisa. Aliás, dia desses os moradores do Rio Acima ficaram isolados do restante da cidade devido aos ônibus não conseguirem entrar no bairro tamanha quantidade de lama que tomou conta das ruas. Enquanto isso, o prefeito Luiz Fernando Machado está asfaltando avenidas que já tem asfalto.

Há alguns anos este blog produziu um vídeo mostrando a realidade da periferia da cidade. Percorremos algumas favelas para testemunharmos in loco a realidade trágica que a população da periferia vive e que é escondida pelos poderosos e pela nossa vil e vendida imprensa.

Confiram o referido vídeo e Feliz Ano Novo:

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

MERO TEATRO TUCANO ! ! !

A Serra do Japi tem 354 km² de área e se caracteriza por ser o ponto de transição entre a floresta atlântica da Serra do Mar e a mata atlântica do interior. Além do tombamento pelo CONDEPHAAT em 1992, a serra foi considerada patrimônio da humanidade e reserva da biosfera pela UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, entidade criada em 16 de novembro de 1945.

A Serra do Japi foi batizada de "castelo das águas" pelo professor e geógrafo Aziz Ab'Saber por seu papel ímpar na formação de nascentes.

Muito bem. O ex-deputado federal Miguel Haddad, do PSDB, lançou um projeto que prevê a criação de um cinturão verde protetor em torno da área tombada da Serra do Japi. Diz ele que a preservação da serra é fundamental para a conservação do meio ambiente.

O tucano não ficou nem vermelho quando se colocou como defensor das questões ambientais e da Serra do Japi.

É simplesmente inacreditável a cara de pau do ex-deputado. Desejamos que neste natal ele ganhe de presente um vidro de óleo de peroba para que possa passar no rosto após se barbear.

Oras bolas, o ex-deputado federal Miguel Haddad, que passa a fazer pose de defensor da Serra do Japi, é um dos especuladores imobiliários que ameaçam permanentemente a preservação da Serra do Japi.

Nunca é demais lembrar que ele e seus irmãos são proprietários de um loteamento industrial de 1.500.000 m² aos pés de nossa Serra do Japi chamado MULTIVIAS, onde aterraram lagos e nascentes de água, o que pela legislação vigente é crime ambiental inafiançável.

E agora vem o dito cujo fazer pose de defensor da natureza e da Serra do Japi. Ninguém merece. Durmam com um barulho desse.

Somente para refrescarmos a nossa memória, confiram nas imagens abaixo esta verdadeira catástrofe ambiental de 1.500.000 m² promovida por Miguel Haddad, a nova sentinela de proteção da Serra do Japi:

***** CLIQUE SOBRE AS IMAGENS PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

FOTO 1: Notem o tamanho da devastação ambiental provocada pelo empreendimento pertencente ao tucano Miguel Haddad.

FOTO 2: Como podemos constatar, o referido empreendimento chega nos limites da zona de amortecimento da Serra do Japi.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2019

INDECÊNCIA AQUÁTICA ! ! !

Era o segundo mandato do ex-prefeito André Benassi, iniciado em 1993, que tinha Miguel Haddad como o seu vice. Em uma auditoria feita na ocasião, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo constatou que a construção da represa realizada pela Camargo Corrêa chegou a ter um superfaturamento na obra de barragem de até 320%.

Este contrato assinado entre a DAE S/A e a empresa Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A foi parar na justiça pois a DAE S/A ficou devendo mais de R$ 15 milhões à empreiteira.

A revista Época chegou a publicar uma reportagem citando esta obra de barragem da represa de Jundiaí, já que a Construtora Camargo Corrêa fazia parte dos esquemas bilionários de corrupção, desbaratados pela Polícia Federal, que pagavam propina para políticos para obtenção de contratos com o governo. Confiram na imagem abaixo:

***** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****


No que diz respeito à transformação do DAE em S/A, o Ministério Público do Estado de São Paulo chegou a se manifestar com uma posição contrária a esta mudança. Confiram na matéria abaixo:

***** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

Mais algumas considerações sobre os escândalos envolvendo a DAE S/A.

Publicado na Imprensa Oficial do Município de 10/08/2018, o estatuto social da DAE S/A, consolidado em 29/06/2018, diz o seguinte:

Art. 5º O capital social é de R$ R$ 207.715.079,00 dividido em 207.715.079 ações nominativas do valor de R$ 1,00 cada, sendo 80.937.712 ações ordinárias e 126.777.367 ações preferenciais.

Art. 7º As ações preferenciais gozarão das seguintes vantagens:

a) Prioridade na distribuição de dividendos, no mínimo 10% superiores aos atribuídos a cada ação ordinária;

b) Distribuição de quaisquer outros proventos em igualdade de condições com as ações ordinárias;


Os atuais acionistas da DAE S/A são os seguintes:

LUIZ FERNANDO ARANTES MACHADO
Representa a Prefeitura do Município de Jundiaí - acionista majoritária

GUSTAVO LEOPOLDO CASERTA MARYSSAEL DE CAMPOS
Acionista com ações preferenciais

JOSÉ ANTONIO PARIMOSCHI
Acionista com ações preferenciais

EDUARDO DOS SANTOS PALHARES
Acionista com ações preferenciais

THIAGO MAIA PEREIRA
Acionista com ações preferenciais

SIMONE ZANOTELLO DE OLIVEIRA
Acionista com ações preferenciais

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

VÃO VENDER A DAE S/A ! ! !

Por 276 votos a 124, a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto que estabelece o marco legal do saneamento básico. A proposta determina novas regras para o setor e abre caminho para a exploração do serviço pela iniciativa privada. Em resumo, os deputados aprovaram a privatização da água e, consequentemente, o aumento nas tarifas.

É escandaloso o que foi aprovado. Estão privatizando o fornecimento de água e esgoto tratado no país. Entregar para a iniciativa privada significa encarecer o serviço, piorar a qualidade e penalizar os pobres.

Esta privatização absurda pode atingir Jundiaí. Vamos entender.

No dia 21 de dezembro de 1999 o então prefeito Miguel Haddad, de forma lamentável, enviou um projeto para a Câmara Municipal extinguindo a autarquia e transformando o antigo DAE em uma empresa de economia mista, uma S/A, com um capital social de R$ 20 mil.

A prefeitura ficaria com 19.900 ações e cinco secretários da prefeitura ficariam com 20 ações preferenciais cada um, entre eles o atual presidente da DAE S/A, Eduardo dos Santos Palhares.

No dia 27 de julho de 2000, seis meses depois, os acionistas da empresa DAE S/A, ou seja, o prefeito Miguel Haddad representando a prefeitura e os cinco secretários, convocaram uma Assembléia Geral Extraordinária onde aumentaram o capital social da empresa de R$ 20 mil para R$ 170 milhões. Um escândalo sem precedentes na cidade.

O resultado desta sandice foi que no balanço do ano de 2002, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 2004, toda a empresa já apresentava um prejuízo de R$ 100 milhões e estava pagando alguns milhões a mais em impostos como S/A que não recolhia como autarquia.

As ações da empresa só não foram colocadas na BOVESPA para serem vendidas porque houve uma gritaria geral na cidade.

Muito bem, caros amigos. Sabem quem votou a favor da privatização da água em Brasília dias atrás ? Ele mesmo. O medíocre deputado federal Miguel Haddad, o mesmo que quis vender a DAE S/A e não conseguiu devido à mobilização popular na época.

Só que agora, com a lei aprovada na Câmara dos Deputados sob pressão do senador Tasso Jereissati, também do PSDB e testa de ferro da Coca-Cola no Brasil, o risco da DAE S/A ser vendida é enorme, uma vez que a prefeitura de Jundiaí está falida e precisando de dinheiro.

Para que a DAE S/A seja vendida basta apenas colocarem as suas ações na Bolsa de Valores de São Paulo para que elas sejam negociadas.

Uma lástima. Um desplante. Uma desfaçatez. Um descaramento total.

Confiram abaixo como votou o pífio deputado federal Miguel Haddad, do PSDB, que mais uma vez envergonhou toda a cidade de Jundiaí:

quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

EMPRESÁRIO POLÍTICO ! ! !

De acordo com um levantamento feito pelo jornal Folha de São Paulo, com base nos dados do TSE - Tribunal Superior Eleitoral, em 1998 haviam 309 empresários candidatos a cargo público, cerca de 2% do total. Em 2006 foram 1.468, quase 8% do total. Já no ano de 2018 foram cerca de 2.500, mais de 10% do total.

Segundo algumas opiniões, os empresários estão descrentes do caminho que, até então, eles estavam tomando, de apoiar campanhas ou partidos. Acham que poderiam defender melhor os seus interesses participando diretamente da política.

Eis o ponto chave da questão: O empresário defender os seus interesses.

Esta atitude diz claramente que o importante mesmo são os interesses particulares dos empresários em detrimento do interesse público.

Pior ainda. Muitos empresários entram na política por dois motivos: Ou eles estão falidos e querem recuperar a sua empresa através do poder público ou querem usar o tráfico de influência da política para alavancar os seus negócios privados.

No setor da especulação imobiliária esta atitude é bastante clara. Donos de construtoras se encostam nos detentores do poder ou então se apossam do poder político, para viabilizarem os seus empreendimentos imobiliários sem o menor constrangimento.

Apesar destas intenções funestas, se apresentam para a população como pessoas sérias e que querem administrar a favor do povo. Tudo mentira. Esta postura é apenas um jogo de cena para enganar o eleitor fazendo pose de homem público. O que interessa mesmo são os seus negócios.

Todo este embuste com a cobertura de nossa vil imprensa, que se dobra às verbas públicas de publicidade apresentando estes empresários candidatos como homens probos, preocupados com o bem do povo.

Ao cidadão comum resta apenas ser um mero espectador deste estado espetáculo, onde a política está sempre em representação através de atores regiamente treinados na coxia do poder, com o triste objetivo de enganar o pobre e abandonado povo brasileiro.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2019

TARIFA ZERO ! ! !

Foi aprovado na sessão da Câmara Municipal realizada em 10/12/2019, o Projeto de Lei nº 13.083 criando o Fundo Municipal de Transportes que visa garantir condições financeiras para o custeio de investimento em controle, operação, fiscalização e planejamento do transporte público no Município de Jundiaí.

O Fundo Municipal de Transportes tem por objetivo facilitar a captação, o repasse e a aplicação de recursos destinados ao desenvolvimento das ações, projetos e programas ligados ao transporte coletivo de Jundiaí.

Está colocada, portanto, a possibilidade concreta de ser instalado na cidade o tão sonhado Projeto Tarifa Zero.

O Projeto Tarifa Zero pretende garantir a gratuidade total do transporte coletivo visando garantir o direito de ir e vir para toda a população. A tarifa zero seria financiada pelo Fundo Municipal de Transportes, que recolheria fatias de uma cobrança progressiva de IPTU, ou seja, o custeio do transporte seria baseado na distribuição de renda.

Para a implantação desse projeto o governo municipal terá de municipalizar o transporte coletivo. Trata-se de um modelo da retomada, pelo poder público, da administração do sistema. Desta forma, as decisões sobre a quantidade de ônibus, os horários e as linhas não estariam mais nas mãos das empresas, que operam pela lógica do mercado, e sim do poder público.

Hoje no Brasil cerca de quarenta milhões de brasileiros não tem acesso ao transporte coletivo, segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), por conta dos preços das tarifas.

A criação de um sistema de transporte público gratuito universal no capitalismo soa como uma fantasia inatingível, porém é viável, do ponto de vista econômico, e compatível com uma sociedade capitalista.

Assim sendo, resta saber se os políticos de Jundiaí tem algum interesse social com a população para implantar o Projeto Tarifa Zero ou se vão continuar subservientes aos ditames do mercado e do lucro, fatores que balizam as ações do transporte coletivo na cidade.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

VAIAS PARA O PSDB ! ! !

O prefeito Luiz Fernando Machado, o deputado federal Miguel Haddad e o governador João Dória, todos do PSDB, foram estrepitosamente vaiados na abertura dos jogos regionais em Jundiaí. Confiram :

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

É SÓ UM CARREIRISTA ! ! !

FOTO: Enquanto o prefeito está passeando alegre e feliz na Holanda, guardas municipais de Jundiaí foram presos por crime de peculato.

Três guardas municipais foram presos em flagrante em Jundiaí por crime de peculato. De acordo com a polícia, a vítima contou que foi abordada pela equipe e que, depois da revista, um dos guardas ficou com R$ 700,00 que pertenciam à ele. O referido guarda confessou o crime e os três foram detidos e levados para a Penitenciária 3 de Pinheiros, na capital.

Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Art. 312 - Apropriar-se o funcionário público de dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo, ou desviá-lo, em proveito próprio ou alheio:

Pena - reclusão, de dois a doze anos, e multa.


Que absurdo. Um tapa na cara do povo dessa cidade. E o prefeito de Jundiaí o que fez ? Foi passear na Holanda com uma enorme comitiva.

Em primeiro lugar fica bastante claro que aquele discurso de um setor de segurança pública eficiente na cidade não passa de mais uma grande mentira do governo tucano para enganar a população.

Os índices de criminalidade desta região crescem cada vez mais. Também pudera. Aqueles que tem o dever de oferecer segurança pública cometem crimes de toda a ordem, como este praticado pelos guardas municipais desonestos e que já estão na cadeia.

E o pior. O prefeito Luiz Fernando Machado, que deveria estar aqui para as devidas providências, está viajando a passeio na bela, emocionante e lúdica Holanda. Durmam com um barulho desse.

Mas e o povo, que acha que está protegido pelos órgãos de segurança, como fica ? Oras bolas, o povo é um mero detalhe sem importância, como está demonstrando, de maneira clara e inequívoca, o governo nazista de Jair Bolsonaro e toda a sua milícia.

Enfim, um país onde uma autoridade vê Jesus na goiabeira, onde uma autoridade acha que o nazismo é de esquerda e onde uma autoridade acha que a Terra é plana, não tem a mínima chance de dar certo.

quarta-feira, 4 de dezembro de 2019

ATÉ QUANDO ?

A cidade de Jundiaí já não aguenta mais essa gente. Vamos lá.

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, viajou para a Holanda para, segundo ele disse, buscar recursos europeus para projetos na cidade. O prefeito declarou ainda, entre outras bizarrices, o seguinte: "Não quero dizer para eles que não temos orçamento".

Além da Holanda, o prefeito de Jundiaí tem convite para se apresentar em Guadalupe, ou seja, o passeio vai ser longo.

Muito bem. O artista Luiz Fernando Machado realmente, além de bom ator, é um cara de pau para ninguém colocar defeito.

Ele foi para a Holanda dizendo que vai arrumar dinheiro para projetos na cidade mas que irá esconder dos holandeses que a prefeitura de Jundiaí está falida, situação decorrente da incompetência dos governos do PSDB que se sucedem na cidade.

Pois é. Enquanto as pessoas estão esperando mais de 4 horas para serem atendidas no Pronto Socorro do Hospital São vicente; enquanto as crianças estão chegando na 6ª série como analfabetas funcionais; enquanto a tarifa de ônibus de Jundiaí é a mais cara do país, o alcaide e a sua comitiva foram passear na Holanda.

Que triste sina é essa do povo de Jundiaí. Durante quase 40 anos a cidade é infestada por um grupo político que não tem um pingo de vergonha na cara e que governa a favor de seus próprios interesses.

É como disse certa vez o bom e velho Barão de Itararé: " O Brasil é feito por nós. Está na hora de desatar esses nós ".

segunda-feira, 2 de dezembro de 2019

O BOBO DA CORTE ! ! !

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ

Imprensa Oficial do Município de Jundiaí
Edição 4644 - 2ª edição de 29 de novembro de 2019

Decreto nº 28.641, de 29 de Novembro de 2019.

Luiz Fernando Arantes Machado, Prefeito do Município de Jundiaí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais,

D E C R E T A :

Art. 1º - Fica aberto no Orçamento do Município, um crédito adicional suplementar de R$ 4.423.353,78 ( Quatro Milhões Quatrocentos e Vinte e Três Mil Trezentos e Cinquenta e Três Reais e Setenta e Oito Centavos ) - Valor referente ao Subsídio do Serviço Público de Transporte Coletivo Municipal.


A cada dia que passa toda a cidade fica cada vez mais consciente de que somos governados há 40 anos por um grupo de pessoas que está se lixando para o contribuinte e para o interesse público.

A prefeitura de Jundiaí está falida, quebrada e desgovernada ? ESTÁ !!! A prefeitura está abandonada ? ESTÁ !!! O grupo político dominante está apodrecido ? Está !!! A cidade está sem futuro nenhum ? ESTÁ !!!

Esse assunto que envolve o transporte coletivo na cidade é uma caixa preta que precisa ser aberta, pois o relacionamento entre o poder público e as empresas de ônibus é altamente duvidoso.

Já não bastasse as empresas serem do mesmo dono; já não bastasse a última concorrência pública para o transporte coletivo ter sérios indícios de ter sido direcionada; já não bastasse termos em Jundiaí a maior tarifa do país, agora essa história do pagamento de subsídios.

As empresas tem um lucro absurdo ao mesmo tempo em que prestam um serviço de baixa qualidade, com ônibus velhos, sujos e com motoristas tratando mal o usuário, sem um mínimo de educação.

Oras bolas, para que a prefeitura local tem de pagar um subsídio de quase R$ 5 milhões para essa gente ? Quais interesses existem por trás disso ? Quem são os verdadeiros beneficiados com essa situação ?

Sinistro, muito sinistro tudo isso !!!

Alguém tem de vir a público dar explicações ao povo de Jundiaí. O munícipe já está cansado de levar goela abaixo estas decisões sem nexo, que custam caro ao seu bolso e não melhoram a sua vida.

Com a palavra as funestas autoridades do governo do PSDB.

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

NEGÓCIOS DA CHINA ! ! !

FOTO: Momento feliz em que a merenda escolar é servida.

Imprensa Oficial do Município de Jundiaí
Edição 4640 - 21 de novembro de 2019

CONTRATANTE: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ
CONTRATADA: ASSOCIAÇÃO LOURDES FERES KHAWALI
PROCESSO: nº 29.660-4/15
ASSINATURA: 14/11/19
VALOR TOTAL: R$ 2.166.040,80
OBJETO: CONTRATAÇÃO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REDE PRIVADA DE EDUCAÇÃO INFANTIL.


Imprensa Oficial do Município de Jundiaí
Edição 4642 - 27 de novembro de 2019


CONTRATANTE: PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ
CONTRATADA: ASSOC. U. B. IRS. S. VICENTE DE PAULO DE GYSEGEM
PROCESSO: nº 29.660-4/15
ASSINATURA: 21/11/19.
VALOR TOTAL: R$ 2.166.040,80
OBJETO: CONTRATAÇÃO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REDE PRIVADA DE EDUCAÇÃO INFANTIL.


Diante das características da contratação destas creches, podemos chegar a inúmeras conclusões sobre este negócio.

Para a prefeitura gastar R$ 4,3 milhões na contratação de duas creches particulares, estas escolas devem ter estrutura única em todo o país.

Sem a menor sombra de dúvida, todos os professores destas unidades escolares devem ter sido formados pela Universidade de Harvard, com pós-graduação concluída na Universidade de Cambridge.

As escolas devem ter sido edificadas pela construtora Bechtel, maior empresa de construção civil dos Estados Unidos.

O salário mensal dos professores deve ser ao nível do que recebem os mestres na Suíça, ou seja, US$ 69 mil ( R$ 280 mil ).

A merenda escolar deve ser oferecida diariamente em pratos de porcelana chinesa, com talheres de ouro e copos de cristal da Bohemia.

Já em seus cardápios devem constar "Fritatta de Lagosta", acompanhada de "Sopa Buddha Jumps Over the Wall", complementada com um "Cupcake Golden Phoenix", e como sobremesa "Sorvete Three Twins".

Para encerrar a deliciosa dégustation da merenda das crianças nestas creches, um café "Kopi Luwak", de digestão suave e com baixa acidez.

Viva Jundiaí, de uma prefeitura com capacidade de investimento "zero", mas que gasta R$ 4,3 milhões contratando duas creches.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

POLÍTICA DE FAMÍLIAS ! ! !

Começam a se aproximar as eleições municipais e já correm pelas ruas as especulações a respeito das candidaturas a prefeito de Jundiaí.

O quadro na cidade é o pior possível. Vai, volta, sobe e desce, mas as candidaturas são as mesmas ou representam as mesmas coisas.

Porém, nada está tão ruim que não possa piorar ainda mais. Se o atual prefeito Luiz Fernando Machado já é um desastre, a alternativa que está sendo colocada pelas esquinas da cidade é pior ainda.

O empresário do setor imobiliário, Ricardo Benassi, está sendo falado como "o candidato novo". He He He, é para rir ou para chorar ?

De "novo" ele não tem nada. Se por acaso ocorrer mais uma tragédia política nas terras de Petronilha Antunes e ele se eleger prefeito, o dito cujo só vai assinar papel, pois quem vai mandar na cidade é a família Benassi, ou seja, os problemas políticos do município não serão decididos no Paço Municipal e sim no bairro do Engordadouro.

E o pior. O virtual candidato, empresário Ricardo Benassi, é o mais legítimo representante da especulação imobiliária na cidade de Jundiaí e região. Apenas a título de informação, fornecida pelo site " Consulta Sócio ", confiram abaixo a significativa relação das empresas em que o referido empresário é sócio ou administrador:

- Santa Angela Empreendimento Imobiliário Spe-1 Ltda.
CNPJ: 05.904.815/0001-19

- Job Empreendimentos e Participações S/S Ltda.
CNPJ: 09.430.011/0001-86

- Spe 19 - Nova Cidade Jardim - Santa Angela Empreendimento Imobiliário Ltda.
CNPJ: 11.444.093/0001-60

- Santa Angela Empreendimento Imobiliário Ltda.
CNPJ: 14.885.385/0001-26

- Santa Angelina Prestadora de Serviços Ltda.
CNPJ: 17.686.530/0001-38

- Itupeva - Loteadora e Empreendimento Imobiliário S/A.
CNPJ: 21.398.273/0001-06

- Bom Jardim Incorporação Imobiliária Spe Ltda.
CNPJ: 21.848.089/0001-10

- Mac Lucer Construções Ltda.
CNPJ: 71.669.576/0001-94

- Residencial Mutton - Itatiba Mutton Empreendimentos Imobiliários Spe Ltda.
CNPJ: 27.752.777/0001-69

- Nivaldo Benassi e Outros.
CNPJ: 08.069.417/0001-12


Ainda segundo o site " Consulta Sócio ", o empresário Ricardo Benassi é sócio de 1 empresa em Minas Gerais e 15 empresas em São Paulo, totalizando um Capital Social de R$ 50.398.377,00.

Assim sendo, fica muito claro a quais interesses o hipotético candidato Ricardo Benassi estaria defendendo se porventura se elegesse prefeito.

Caros amigos. Todos nós estamos vivendo dias obscuros. O Brasil está caminhando para um futuro desastroso, que está sendo construído por um grupo político criminoso na capital federal que não tem o menor compromisso com os interesses do país. No que diz respeito a Jundiaí, nós já estamos vivendo esse desastre político há muito tempo, inclusive sem perspectivas de sairmos dele a curto e médio prazo.

Todos nós jundiaienses somos escravos de um poder político quase que inexpugnável, onde pessoas que não tem o menor escrúpulo querem manter o nosso município em suas mãos a qualquer custo. Uma ambição por dinheiro e poder sem limites, através da qual pisoteiam os mais comezinhos princípios de civilidade e de respeito aos cidadãos.

Por que insistem tanto em manter o poder político na cidade ?

É como disse certa vez o comediante Chico Anysio: " No Brasil de hoje, os cidadãos têm medo do futuro e os políticos têm medo do passado ".

terça-feira, 19 de novembro de 2019

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL ! ! !

A prática política para governar a cidade empreendida pelos governos do PSDB tem sido a mentira. Os prefeitos que se sucedem usam desta tática para ludibriar o cidadão e perpetuarem no poder o grupo político que tomou de assalto a cidade há 40 anos.

Quem está ameaçado com este tipo de prática implantada pelos governos tucanos é o meio ambiente do município.

Uma destas mentiras diz respeito ao fato do PSDB contar em prosa e verso que a cidade está em uma situação confortável no que diz respeito ao abastecimento de água. Inclusive o ex-prefeito Miguel Haddad tem discursado com a cara lavada, aos quatro cantos de Jundiaí, que o município tem água suficiente para 50 anos.

Agora, a atual administração vem com o discurso que é preciso construir novas represas na região da Serra do Japi porque a cidade não tem água. Então era mentira que tínhamos água para 50 anos ?

O que essa gente esconde da população é que o conjunto de represas a serem construídas e que comporão o chamado Sistema Caxambu, na região da Serra do Japi, depredarão áreas de terra e de mata nativa da Fazenda Ribeirão, da Fazenda Rio das Pedras e da Fazenda Cachoeira. O custo total da obra está estimado em R$ 300 milhões.

É claro que é apenas uma coincidência que alguns políticos da cidade tenham propriedades e condomínios nas imediações destas futuras represas e que não tem a menor intenção de utilizar esta água.

Apenas lembrando que a Lei de Crimes Ambientais nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, diz o seguinte:

Art. 38-A. - Destruir ou danificar vegetação primária ou secundária, em estágio avançado ou médio de regeneração, do Bioma Mata Atlântica, ou utilizá-la com infringência das normas de proteção:

Pena - Detenção, de 1 ( um ) a 3 ( três ) anos, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. ( Incluído pela Lei nº 11.428, de 2006 ).


Art. 40. - Causar dano direto ou indireto às Unidades de Conservação e às áreas de que trata o art. 27 do Decreto nº 99.274, de 6 de junho de 1990, independentemente de sua localização:

Pena - Reclusão, de 1 ( um ) a 5 ( cinco ) anos.


Preservação do meio ambiente ? Que nada. O que interessa é mostrar serviço para o povo visando conquistar votos nas eleições do ano que vem. Essa história que envolve questões ambientais é um assunto de gente desocupada que não tem o que fazer. E Viva Jundiaí !!!

quinta-feira, 14 de novembro de 2019

ILUSIONISMO TUCANO ! ! !

Em audiência pública na Câmara Municipal, o gestor de finanças, José Antonio Parimoschi, parecia Harry Houdini, um dos mais famosos ilusionistas da história, ao apresentar o orçamento municipal para 2020.

O ilusionista Harry Houdini começou a se apresentar como mágico, fazendo números nos quais se libertava não só de algemas, mas também de correntes e cadeados, dentro de caixas, dentro de tanques fechados, dentro e fora d'água, de todo o jeito.

Analogamente, o "mágico ilusionista" gestor de finanças de Jundiaí, entre os seus números, apresentou a cidade como um paraíso financeiro que terá um orçamento de R$ 2,6 bilhões no ano que vem, tudo graças à sua enigmática destreza sobrenatural.

He He He. Tudo mentira. Tudo enganação. Tudo um embuste político. A prefeitura de Jundiaí está quebrada, falida, pela incompetência de gestão dos governos que se sucedem na cidade há 40 anos.

É evidente que o ilusionista Parimoschi não falou em sua escapológica apresentação que ele vai deixar uma dívida superior a R$ 300 milhões para o seu sucessor. Também não mostrou em seu ato os truques que utilizou para esconder que a capacidade de investimento da prefeitura é de zero%. Foi notório que ele lançou mão em sua apresentação de uma paranormalidade ímpar para encobrir que ex-servidores de sua pasta utilizavam-se dos cargos que ocupavam para ganharem dinheiro em palestras realizadas em outras prefeituras.

Não disse também o escamoteador Parimoschi que ele próprio autorizou a sua diretora a quebrar o sigilo eletrônico de e-mails dos servidores municipais, sem autorização judicial, para tomar conhecimento de quem estava acessando este blog dentro da prefeitura.

Enfim, um governo que tem em suas mãos um orçamento que se aproxima dos R$ 3 bilhões anuais, utiliza todo este caminhão de dinheiro apenas para pagar o custo da máquina pública. Um clamoroso atestado de incapacidade administrativa e financeira.

É como diz um antigo e verdadeiro pensamento: " O Brasil progride à noite, enquanto os políticos estão dormindo ".

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

GOSTOSA RACHADINHA ! ! !

" Rachadinha " é o nome popularmente dado à prática de nomeação de pessoas em cargos de comissão no poder público em troca de receber parte do salário delas.

A investigação de um esquema de " rachadinha " ficou conhecida no caso de Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, quando o parlamentar era deputado estadual no Rio de Janeiro.

Apenas lembrando que de acordo com o artigo 312 do Código Penal, está sujeito à pena de 2 a 12 anos de reclusão, o funcionário público que pratica este delito e desvia, em proveito próprio ou alheio, dinheiro, valor ou qualquer outro bem móvel, público ou particular, de que tem a posse em razão do cargo.

Correm fortes e insistentes rumores pelos corredores obscuros e mal iluminados da política jundiaiense de que vários vereadores de Jundiaí tem colocado em prática este esquema de " rachadinha ".

Levando-se em conta que o salário de um assessor de vereador na cidade é superior a R$ 10.000,00, podemos calcular o caminhão de dinheiro que poderia estar sendo desviado para o bolso de alguns dos senhores vereadores, o que poderia caracterizar crime de peculato.

Por acaso a assessoria jurídica da Câmara Municipal tem algo a dizer sobre essa questão ? E o presidente do legislativo não investigou nada sobre os seus colegas ? O Ministério Público foi acionado para apurar estas possíveis ilegalidades ? Alguém vai responder ao povo de Jundiaí ?

Silêncio total. Todos estão mudos, surdos e cegos para o assunto.

Pelo jeito nada disso interessa ser apurado, não é mesmo ? Afinal de contas teremos eleições em 2020 e os vereadores já estão em campanha para a sua reeleição. Rachadinhas aqui nessa cidade ? Que nada. Isso é assunto de quem não tem o que fazer. E viva Jundiaí !!!

segunda-feira, 4 de novembro de 2019

ELEIÇÕES 2020 ! ! !

ELEIÇÕES 2018 - VOTAÇÃO EM JUNDIAÍ

Jair Bolsonaro - 173.143 votos

Eduardo Bolsonaro - 21.570 votos

Janaina Paschoal - 31.942 votos


Antes de mais nada, pedimos desculpas aos amigos que frequentam esta página pela publicação destas fotos que mostram uma escumalha política da pior espécie. Porém, este pecado que estamos cometendo é necessário pelo que descreveremos a seguir.

Como podemos notar nos números expostos, estes desclassificados, vigaristas, canalhas, tiveram em Jundiaí 226.655 votos.

O que isto significa ? Qual é o pensamento político de nossos eleitores ?

Estes três políticos são o maior desastre da história política do país.

A deputada Janaina Paschoal se vendeu por R$ 45 mil ao PSDB para produzir uma farsa jurídica que cassou o mandato da presidenta Dilma Rousseff, eleita legitimamente. O deputado Eduardo Bolsonaro ameaça possíveis protestos da população com a edição de um novo e desastroso AI-5. Já o funesto presidente Jair Bolsonaro, além de ter íntimas ligações com as milícias criminosas no Rio de Janeiro, está envolvido até o pescoço com o assassinato da vereadora Marielle Franco.

Ultimamente vários políticos de Jundiaí tem se mostrado bastante identificados com esse lixo. O prefeito Luiz Fernando Machado anda abraçado com o presidente expulso do exército, enquanto que o ex-prefeito André Benassi é todo elogios ao capitão do mato Jair Bolsonaro.

Assim sendo, como ficam as eleições do ano que vem na cidade ? Quais serão as alternativas políticas aqui em Jundiaí ?

De um lado teremos o atual prefeito que, abraçado a Jair Bolsonaro, se diz o "defensor da família". De outro, o sobrinho do ex-prefeito Benassi, especulador imobiliário e apaixonado, como seu tio, pelo presidente.

A cidade e o povo de Jundiaí não merecem isso.

Vamos torcer para que os 226.655 eleitores de Jundiaí, que votaram nessa escória em 2018, tenham a consciência da bobagem que fizeram e descartem o execrável coronelismo político das terras de Petronilha.

quinta-feira, 31 de outubro de 2019

O NOVO SANTO OFÍCIO ! ! !

FOTO: O Prefeito Luiz Fernando Machado, do PSDB, e a Secretária Nacional da Família, Angela Vidal Gandra da Silva Martins.

FOTO: Angela Vidal Gandra da Silva Martins, Secretária Nacional da Família, ao lado da ministra Damares Alves e da deputada estadual Janaina Paschoal, religiosas obscurantistas.

A Inquisição Católica começou no século XII, na França, e persistiu até o início do século XIX. Mesmo com o seu encerramento oficial, esta instituição sobreviveu como parte da Cúria Romana recebendo o nome, em 1904, de " Suprema Sagrada Congregação do Santo Ofício ". Em 1965, tornou-se a " Sagrada Congregação para a Doutrina da Fé ".

Calcula-se que mais de 3 milhões de pessoas foram assassinadas pelo Santo Ofício em nome de Deus e da Santa Igreja e seus bens confiscados pelo Vaticano. Porém, estes tempos obscuros em que viveu a humanidade parece estarem voltando nos dias de hoje sob a roupagem nova do execrável e insano fanatismo religioso.

Ministros que tem lugar no governo do nazista Jair Bolsonaro, tem dito com todas as letras que " quem vai consertar o Brasil é a Igreja ".

Não bastasse esta sandice a nível nacional, o governo tucano de Jundiaí está embarcando nesta canoa furada com um discurso de que a meta principal da prefeitura é a " defesa da família ". Resta sabermos de qual família o prefeito e os obscurantistas religiosos estão falando.

Recentemente esteve em um evento na cidade a Secretária Nacional da Família, Angela Vidal Gandra da Silva Martins, companheira de viagem da funesta ministra Damares Alves e da tenebrosa deputada estadual Janaina Paschoal, tendo sido recebida de braços abertos pelo prefeito Luiz Fernando Machado, que tem andado abraçado com Jair Bolsonaro.

Apenas lembrando que a Secretaria Nacional da Família, Angela Vidal Gandra da Silva Martins, é filha do jurista Ives Gandra da Silva Martins, membro histórico da Opus Dei, organização católica fundamentalista de extrema direita que tomou de assalto os poderes da república.

São estes herdeiros da Inquisição Católica que hoje dominam o governo federal e que, de maneira lamentável, começam a colocar os pés por aqui através de uma postura negligente das autoridades municipais. É o PSDB de Jundiaí abrindo as portas para o Santo Ofício.

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

NOVA VITÓRIA JUDICIAL ! ! !

O senhor Robson Teixeira Neves é servidor público municipal concursado e exercia a sua função de Agente de Fiscalização de Posturas Municipais, um trabalho que é feito na rua.

Sua esposa, senhora Karina Bizzarro Neves, foi nomeada pelo gestor José Antonio Parimoschi como Diretora do Departamento de Tributos, símbolo CC-3, através da Portaria nº 160, de 31 de janeiro de 2017.

Posteriormente à sua nomeação, a diretora Karina Bizzarro Neves trouxe para a sua diretoria, como seu subordinado, o próprio marido, Robson Teixeira Neves, que passou a atuar em desvio de função.

Isso é ilegal, segundo o Estatuto dos Funcionários Públicos Municipais.

Porém, caros amigos deste blog, a situação foi ainda pior.

Este mesmo servidor público municipal, Robson Teixeira Neves, que estava em desvio de função, passou a oferecer consultoria tributária como mostra o seu cartão de visitas que vemos na foto. Isso é ilegal, pois ele estava utilizando do seu cargo para auferir vantagens financeiras fora da prefeitura, fato comprovado através de vários documentos que apresentamos no decorrer do processo.

E mais ainda. A esposa do Sr. Robson Teixeira Neves, Sra. Karina Bizzarro Neves, então Diretora do Departamento de Tributos, quebrou o sigilo de e-mails dos servidores municipais, com a concordância do gestor José Antonio Parimoschi e sem autorização judicial, no intuito de identificar quem estava acessando as postagens deste blog.

Diante destas e outras irregularidades, protocolamos na prefeitura um pedido de investigação para a apuração destes problemas. Após o devido levantamento dos fatos, a Procuradoria Jurídica da prefeitura determinou a instauração de um processo administrativo contra o casal.

Diante desta decisão, a Sra. Karina Bizzarro Neves foi exonerada de seu cargo de Diretora do Departamento de Tributos e o Sr. Robson Teixeira Neves foi removido da secretaria de finanças.

Além do requerimento dirigido à prefeitura, protocolamos uma representação, junto com uma farta documentação, no Ministério Público do Estado de São Paulo solicitando o levantamento destes fatos e as devidas providências judiciais sobre as irregularidades.

Assim sendo, o 12º Promotor de Justiça de Jundiaí, Dr. Fabiano Pavan Severiano, instaurou um Inquérito Civil para o devido esclarecimento sobre as denúncias apresentadas, onde estão sendo chamados para depor vários servidores públicos e autoridades municipais.

Perante todos estes descalabros, pasmem, o casal Robson Teixeira Neves e Karina Bizzarro Neves, processaram este blog alegando que estávamos ofendendo a sua honra e causando problemas a eles. Além disso pediram na justiça que este blog fosse retirado do ar.

Em 18 de outubro de 2019 o Meritíssimo Juiz da 1ª Vara Cível de Jundiaí, Dr. Luiz Antonio de Campos Júnior, emitiu sentença favorável a este blog declarando que esta ação judicial é improcedente.

Entre muitas outras coisas, afirmou o eminente magistrado:

"...Tanto assim é que, na lição suso transcrita, a liberdade de informação jornalística não sofre restrição ou limitação de qualquer espécie, nem mesmo sob a invocação do direito à honra, à imagem e à privacidade..."

"...Sendo desta maneira, necessário afirmar que agiu o réu apenas no exercício comedido de sua liberdade de opinião, albergada esta no artigo 5º, inciso IV, da Constituição Federal, segundo o qual é livre a manifestação do pensamento..."

"...Do exposto, JULGO IMPROCEDENTE o pedido, dando-se o feito por extinto, com fulcro no artigo 487, inciso I, in fine, do Código de Processo Civil..."

As autoridades e alguns servidores municipais tem de entender que o poder público não é o quintal de suas casas onde eles podem fazer o que quiserem. Além de todas as leis e códigos que regulam a administração pública existe o inalienável interesse do povo, que é o verdadeiro dono do patrimônio público e merece o amplo, total e irrestrito respeito.

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

VITÓRIA NA JUSTIÇA ! ! !

Em dezembro de 2013, a Faculdade de Medicina de Jundiaí assinou um contrato com a empresa Sutti Arquitetura Ltda. para a elaboração de projetos de engenharia e arquitetura destinados ao Centro de Pesquisas Médicas daquela entidade. Este contrato foi prorrogado em 2014.

O endereço desta empresa era o mesmo do escritório da então secretária de planejamento da prefeitura de Jundiaí, arquiteta Daniela da Câmara Sutti, fato que nos causou muitas dúvidas.

A Faculdade de Medicina é uma autarquia municipal, personalidade jurídica de direito público ligada à prefeitura de Jundiaí.

Perguntamos em nossa postagem na época o seguinte: Seria ético uma empresa sediada no mesmo endereço do escritório da então secretária de planejamento, mesmo ela licenciada, assinar um contrato com um órgão público vinculado à própria prefeitura em que ela era nomeada ?

Diante desta indagação, a então secretária de planejamento do governo Pedro Bigardi, Daniela da Câmara Sutti, processou este blog. Em sua petição judicial, a arquiteta, entre outras alegações infundadas, pediu à justiça a retirada deste blog do ar, em uma verdadeira afronta jurídica contra a Constituição Federal, que diz:

Art. 220. A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição:

§ 2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.


Após o seu trâmite inicial, este processo chegou ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Em sua sentença favorável a este blog, o meritíssimo desembargador e relator responsável por este processo, entre outras coisas, afirmou:

"...Demais disso, ver que a matéria veiculada pelo Réu possui cunho crítico e informativo, abordando conteúdo de relevante interesse público, como a contratação nebulosa de escritório de arquitetura, ligado à Autora e pessoas próximas, por Autarquia Municipal e se não pode olvidar o momento pelo qual passava, e ainda passa, o País com relação à moralidade do setor público; não se lhe depara intuito de ofender, menoscabar e de injuriar..."

"...O tentame de proibir, previamente, veiculação e produção de novas matérias jornalísticas a respeito do caso em apreço, como pretendia a Autora, corrobora a alegação de que o Réu estaria sendo silenciado, e a pouca tolerância da A. com críticas normais a que todos os que militam na área do Serviço Público estão sujeitos..."

Enfim, todos os recursos tentados pela arquiteta foram negados pelo tribunal. Assim sendo, aquela colenda corte paulista encaminhou o processo ao Superior Tribunal de Justiça, como determina a legislação.

Em 29/08/2019, o Presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ministro João Otávio de Noronha, emitiu sentença não conhecendo o recurso impetrado pela arquiteta Daniela da Câmara Sutti.

Em 21/10/2019, o processo transitou em julgado no Superior Tribunal de Justiça com decisão final favorável a este blog.

Caros amigos, a luta é muito dura mas vai continuar.

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

POBRE DINHEIRO PÚBLICO ! ! !

Há 11 anos temos divulgado todos os absurdos inenarráveis cometidos pelos governos que se sucedem em Jundiaí. É um verdadeiro festival de desmandos e malfeitos cometidos pelos ditos gestores públicos.

Vai aqui e agora mais um destes descalabros inacreditáveis.

O gestor de finanças, José Antonio Parimoschi, vive fazendo pose como gestor sério. Se não fosse ele a nossa cidade não existiria.

Muito bem. Na última Assembleia Geral da CIJUN - Companhia de Informática de Jundiaí, foram fixados os honorários de seu Conselho de Administração, do qual faz parte Sua Excelência Reverendíssima Meritíssima Eminência Parda, o Nobilíssimo José Antonio Parimoschi.

Na Ata desta Assembleia foram transcritos os valores anuais para a remuneração do Conselho de Administração da CIJUN.

Pasmem os senhores. Para o período de maio de 2019 a abril de 2020 o montante global anual será de R$ 1.660.000,00, cabendo ao Conselho de Administração determinar o valor individual mensal que os seus membros receberão. Um tapa na cara do povo de Jundiaí.

Um punhado de conselheiros, entre eles Sua Majestade Parimoschi, receberão anualmente uma remuneração de quase R$ 2 milhões.

Assim funciona o grupo de coronéis que domina a política em Jundiaí há 40 anos. Um bando de oportunistas que tem se refestelado com o dinheiro público para sustentar a sua vida nababesca.

Confiram este disparate inaceitável que o munícipe tem que engolir:

**** CLIQUEM SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO ****

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

O CUSTO DA MENTIRA ! ! !

Convite nº 092/19
Processo nº 30.628-0/19
Órgão Gestor: Unidade de Gestão de Inovação e Relação com o Cidadão.
Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviço de clipping jornalístico para monitoramento diário e em tempo real de notícias contendo temas de interesse para o Município de Jundiaí.
Valor: R$ 169.992,00.


O Brasil tinha tudo para dar certo. Um país rico em recursos naturais, rico em natureza, rico em reservas de água, rico em reservas de petróleo, porém, um país paupérrimo em gestores públicos. E a cidade de Jundiaí é um exemplo bem claro do quanto somos pobres em administradores da coisa pública.

Os dados acima mostram de maneira clara e inequívoca que a prefeitura de Jundiaí está jogando dinheiro pela janela sob a batuta do gestor Thiago Maia Pereira que, pelo ocorrido, não tem condições de administrar nem uma folha de papel sulfite.

Caros amigos. A prefeitura contratou uma empresa para desempenhar um trabalho de clipping jornalístico para monitoramento diário e em tempo real de notícias. Para isso irá desembolsar quase R$ 200 mil.

Oras bolas, esta mesma prefeitura tem um contrato em vigor com a agência de publicidade chamada Eurofort Comunicação Ltda., gastando com esta empresa a bagatela de R$ 6.600.000,00 por ano para a realização de serviços de comunicação.

Será o Benedito que esta agência não poderia realizar este serviço de clipping evitando o gasto de R$ 200 mil aos cofres públicos ?

É rir para não chorar. O atual governo já gastou quase R$ 20 milhões com publicidade, sem contar que nos últimos 8 anos, nos mandatos de Miguel Haddad e Pedro Bigardi, a prefeitura destinou à sua publicidade a mísera quantia de R$ 65 milhões.

Resumo desta ópera bufa: Em três mandatos os prefeitos terão gasto módicos R$ 100 milhões somente com a propaganda de sua imagem, que é, na realidade, o objetivo principal da publicidade pública.

Uma lástima. Um desplante. Uma desfaçatez. Um descaramento total.

Mas tudo isso não interessa, não é mesmo ? Afinal de contas a campanha eleitoral de 2020 já começou e o prefeito quer se reeleger de qualquer maneira pois a mamata é muito gostosa. E viva Jundiaí !!!

sábado, 12 de outubro de 2019

AINDA O RACISMO ! ! !

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988

Art. 5º -Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

XLII - A prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível, sujeito à pena de reclusão, nos termos da lei.

LEI Nº 7.716, DE 5 DE JANEIRO DE 1989

Art. 20 - Praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

Pena: Reclusão de um a três anos e multa.

O fato lamentável ocorrido no bairro Eloy Chaves não pode passar impune. Seja o vereador Antonio Carlos Albino, sejam os moradores do bairro envolvidos neste ato deplorável, tem de responder por isso.

A democracia no Brasil, cambaleante e moribunda, não vai resistir a este tipo de atitude em um país onde o seu povo se diz civilizado.

Informações chegaram a este blog dando conta de que o referido vereador anda ameaçando a todos aqueles que divulgarem mais este fato triste da vida de Jundiaí. Isso é simplesmente inacreditável.

Independente das ameaças, esperamos que o Ministério Público se pronuncie a respeito do assunto adotando as medidas judiciais cabíveis para o fato, inclusive na área criminal, se for o caso.

Em um país que viveu séculos de escravidão, uma eterna vergonha, não podemos mais tolerar episódios desse tipo.

sábado, 5 de outubro de 2019

RACISMO REPULSIVO ! ! !

O ex-vereador Paulo Malerba (PT) publicou em sua página no facebook um fato profundamente lamentável que merece algumas considerações desta página. Foi um ato de racismo protagonizado por um dos vereadores de Jundiaí. Eis aqui o que publicou o ex-vereador petista:

"...Na terça-feira compartilhei aqui no Facebook um caso grave: o vereador Albino ajudou a divulgar imagens de um jovem negro que tirava fotos no bairro Eloy Chaves, considerando esse rapaz como “suspeito”. As imagens circularam em vários grupos de WhatsApp e estavam acompanhadas com um áudio do próprio vereador, no qual incentivava as pessoas a procurar a GM caso encontrassem esse jovem..."

"...Sabemos bem que esse tipo de "mal entendido", que considera certas pessoas "suspeitas", é direcionado majoritariamente à população negra e pobre - não são poucos os trágicos exemplos recentes em nosso país..."

"...A exposição de um jovem inocente enquanto "suspeito" é mais que um equívoco, coloca em risco a reputação, a dignidade e a vida de quem foi exposto..."


É inaceitável esta postura discriminatória do vereador Antonio Carlos Albino. Nada justifica uma atitude racista como esta, mesmo em dias em que o fascismo está se enraizando na política brasileira fazendo com que, inclusive, o prefeito Luiz Fernando Machado ande de abraços com o desprezível presidente nazista, Jair Bolsonaro.

Na realidade este fato lamentável ocorreu apenas porque o jovem em questão era negro, mostrando que a política atual só tem consideração com os brancos, contados em prosa e verso como " cidadãos de bem ".

Apenas lembrando aos caros amigos deste blog que " cidadãos de bem " (The Good Citizen) era o nome do jornal da Ku Klux Klan, uma vil organização racista que surgiu nos Estados Unidos, no século XIX.

quarta-feira, 2 de outubro de 2019

CAIU A MÁSCARA ! ! !

Em cumprimento à Lei de Responsabilidade Fiscal, a Unidade de Gestão de Governo e Finanças da prefeitura apresentou na manhã desta segunda-feira, em audiência pública na Câmara Municipal, as Metas Fiscais do município referente ao segundo quadrimestre de 2019.

No segundo quadrimestre houve queda expressiva na arrecadação do ICMS, carro-chefe da arrecadação do município, devido à crise econômica do país, resultante do processo de destruição do Brasil iniciado pelo governo de Michel Temer e que deverá se encerrar neste governo catastrófico desta escumalha chamada Jair Bolsonaro.

Mas deixando de lado o lixo Bolsonaro, gostaríamos de comentar algumas coisas sobre esta audiência pública.

Durante a explanação foi mostrado que a dívida da prefeitura em 2016 era de R$ 175,56 milhões e que em 2019 está em R$ 338,41 milhões.

Isso quer dizer o seguinte: O gestor de finanças da prefeitura é um enganador de primeira grandeza, afinal de contas ele vive dizendo que assumiu uma dívida impagável do governo anterior.

Pelos números podemos constatar que é exatamente o contrário. Esse governo é que construiu uma dívida impagável.

No que diz respeito à relação receita/despesa, outra mentira. Segundo os números oferecidos pela própria prefeitura, a receita em 2019 está em R$ 711,29 milhões e a despesa em R$ 727,25 milhões.

Oras bolas, o gestor Parimoschi vive dizendo que não se pode gastar mais do que arrecada e que o atual governo leva isso a sério. Pura enganação. A prefeitura está gastando mais do que arrecada.

Diante disso podemos entender porque a prefeitura realizou uma audiência pública em uma segunda-feira pela manhã. Era para ninguém comparecer e contestar estes absurdos matemáticos.

Estiveram presentes no evento apenas alguns vereadores sabujos do prefeito que foram lá apenas para aplaudir.

É como dizia o saudoso Leonel Brizola: " O PSDB é o restolho da UDN ".

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

COMEÇOU A FESTA ! ! !

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ

Concorrência nº 014/2018

Processo Administrativo nº 31.294-2/2018

Empresa vencedora: Consórcio Jundiaí Monitorado - Formado pelas empresas Arco-Íris Sinalização e Newtesc Tecnologia

Valor: R$ 14.486.000,00

Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de engenharia de tráfego, com a implantação de soluções tecnológicas integradas e gestão centralizada, e, monitoramento remoto para a fiscalização do trânsito de ruas e avenidas do Município de Jundiaí, que engloba a captura de imagens através de câmeras de vídeo para controle de velocidade, de infrações por avanço do semáforo e de infrações de circulação, destinados ao Município de Jundiaí.


A indústria da multa está de volta. A prefeitura acaba de concluir a concorrência para a instalação de radares de trânsito por toda a cidade. O lobo perde o pelo mas não perde o vício, não é mesmo ?

É escandaloso como funciona essa indústria das multas pelo Brasil. Uma indústria que fatura R$ 2 bilhões por ano e está envolvida em fraudes e muitas negociatas com agentes públicos.

Apenas lembrando que todos os recursos gerados pelas multas de trânsito ficam 100% para a prefeitura, ou seja, quanto mais multas aplicadas, maior será o dinheiro em caixa na administração municipal.

E o prefeito Luiz Fernando Machado não fica nem vermelho com isso.

O que importa mesmo são as suas fotos para as eleições de 2020.

Mas e os interesses do povo ? Bem, isso não vem ao caso.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

MOMENTO DE REFLEXÃO ! ! !

É impressionante como as pessoas desconhecem a situação política da cidade de Jundiaí. Há uma desorientação generalizada sobre tudo o que ocorre na política. Quem está certo ? Quem está dizendo a verdade ? Quem está se aproveitando da situação ? Quem está mentindo ?

Pois é. Permitam-nos aqui expor algumas idéias sobre esta realidade.

1 – Representação política: A democracia dita representativa está tremendamente em crise em Jundiaí e não é nada representativa, nem mesmo estatisticamente. Os que estão exercendo o poder Legislativo não representam os interesses dos eleitores e sim os seus interesses políticos pessoais. Que representatividade é essa ? São representantes de pequenos grupos de interesse e de pressão que cobram ações dos eleitos para que seus interesses sejam plenamente atendidos.

2 – Qualificação dos eleitos: Para ocupar qualquer cargo em empresas, escolas ou associações, exige-se a comprovação de habilitação, qualificação e experiência. Para o exercício e ocupação de um cargo político nada disso é exigido. Qualquer um acha-se habilitado e qualificado, concorrendo usando dos meios de que dispõe: dinheiro, influência, mentira, calúnia, sabotagem, boicote, pressão, infidelidade, promessas, enganos, etc...

3 – Consciência dos cidadãos: Cidadania, hoje, mais que nunca, implica em participação. Para participar é necessário um mínimo de consciência e de conhecimento do que está acontecendo. Temos uma marca muito forte de alienação com relação à realidade política, à organização e funcionamento das instituições. As pessoas preferem distância dessa realidade e não envolvimento, comprometimento e participação. A maioria pensa em poder aproveitar de alguma coisa para si, quer algum benefício próprio. Se não ganhar nada ele não vota em candidato honesto, sério e pobre.

4 – Ausência da prática do princípio do bem comum: A característica mais forte é tirar proveito individual. Além disso, aqueles que se elegem sentem-se como proprietários do bem público. Se um vereador ou um prefeito propõe uma obra que beneficie a população, ele quer ser visto como alguém que, por iniciativa própria, como se o município fosse uma empresa particular sua, fez um favor à população, a coitadinha que não sabe se ajudar e que precisa dos políticos para viver.

Enquanto a maioria das pessoas permanecerem em sua situação cômoda de não se interessarem por nada que envolva a política, continuaremos a ser governados por este rebanho de ladrões e parasitas, que fingem defender o interesse público enquanto, na realidade, protegem apenas os seus negócios particulares. É preciso uma ruptura com essa escória.

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

O PLANO DO LUCRO ! ! ! ( II )

Como este assunto sobre o Plano Diretor tem uma grande importância para a cidade, valem aqui mais algumas considerações a respeito do que envolve esta questão a respeito do planejamento do município.

O Projeto de Lei do Plano Diretor de Jundiaí, entregue à Câmara Municipal, não é uma revisão e sim um novo Plano Diretor. Ele é mais extenso, cria dois novos zoneamentos, traz a expansão do perímetro urbano e a flexibilização das normas.

Por exemplo: Com o novo do Plano Diretor de Jundiaí, o bairro Caxambu voltará a ser considerado zona urbana. Há alguns anos o Caxambu tem sido considerado área rural e sem previsibilidade de ocupação. Com o novo plano, ele voltará a ser área urbana.

Qual é a diferença entre as duas situações ? No plano em vigor, a região do Caxambu, como área rural, é fiscalizada pela União. Já como área urbana, o Caxambu passará a ser fiscalizado pela prefeitura.

Assim sendo, os proprietários de terras da região poderão realizar o parcelamento de seus imóveis para a construção de condomínios residenciais livremente, sob a "isenta" fiscalização da prefeitura.

Isso quer dizer o seguinte: Não importará para os proprietários ou para a prefeitura se ocorrerá o comprometimento do meio ambiente e das nascentes de água. O que vai importar é o lucro dos especuladores imobiliários e donos de construtoras que, como abutres, já estão esfregando as mãos à espera da engorda de suas contas bancárias.

E aí, caros amigos, vem o gestor de planejamento da prefeitura com a seguinte conversa fiada: " A revisão do Plano Diretor tem por objetivo promover o desenvolvimento sustentável ". Acredite se quiser.

sexta-feira, 13 de setembro de 2019

O PLANO DO LUCRO ! ! ! ( I )

A especulação imobiliária pode ser entendida como a atividade de investimento capitalizado em bens imóveis, ou seja, o investimento é comandado pelo detentor do capital, também conhecido como proprietário do imóvel. Aqui, visa-se a conquista de lucro privado sobre determinado terreno através da aquisição e valorização de imóveis.

Para entender isso, deve-se ter em mente a máquina do capitalismo. Nesse sentido, o solo passa a ser a mercadoria, sujeito aos investimentos do capital, às variações de mercado e à variação de oferta e procura desse sistema.

Um dos efeitos da especulação imobiliária nas cidades é o aumento do preço do solo engordando a conta bancária das construtoras.

Um outro problema relacionado com a especulação imobiliária é a segregação social urbana. Afinal, com a alta valorização do preço do solo, a população mais pobre é praticamente "jogada" para as regiões mais periféricas desprovidas dos meios básicos de infraestrutura.

Todas estas questões são tratadas pelo Plano Diretor de uma cidade.

Em Jundiaí, diz a prefeitura que fez uma revisão do Plano Diretor. Isso é mentira. O que ocorreu na realidade foi que um novo Plano Diretor foi elaborado no costumeiro colo dos especuladores imobiliários da cidade, que privilegiaram única e exclusivamente os seus lucros.

Tudo isso sob as barbas do prefeito Luiz Fernando Machado.

Nos últimos 40 anos esta foi a tônica deste grupo político que tomou de assalto a nossa cidade. Usam e abusam do poder que acumularam apenas para beneficiarem os seus negócios imobiliários particulares.

E não se iludam. Estes parasitas já estão se articulando com vistas às eleições de 2020, cujo objetivo é manterem sob o seu controle todo o poder público de Jundiaí. Enfim, os negócios precisam continuar.

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

DOCE DINHEIRO ! ! !

Está em andamento no Fórum local um processo judicial onde o Sindicato dos Rodoviários de Jundiaí pleiteia tomar posse de grande parte do patrimônio da Sociedade Esportiva Caxambu.

O sindicato alega que o clube do Caxambu tem uma dívida com ele de R$ 6.874.887,88. Já o clube, por sua vez, diz que esta dívida é ilegal, que ela não existe, que o sindicato quer se apropriar do seu patrimônio.

Agora, caros amigos, apareceu mais um processo judicial envolvendo o patrimônio de um outro clube da cidade: A Associação Atlética Floresta. Desta vez também está envolvida na confusão a DAE S/A.

Este processo tramita na 4ª Vara Cível da Comarca de Jundiaí.

O Meritíssimo Juiz de Direito da 4ª Vara Cível, Dr. Marcio Estevan Fernandes, nomeou como interventor na Associação Atlética Floresta o advogado, Dr. Dirceu Francisco Cardoso, que passou a atuar como administrador judicial da entidade.

Após um longo e minucioso trabalho realizado pelo administrador judicial, foi elaborado um extenso relatório apontando todas as graves ilegalidades ocorridas no clube, relatório este que já foi juntado ao processo. Eis aqui um resumo do que foi apurado:

1) Foi assinado um comodato com o Círcolo Italiano de Jundiaí, fato este que afastou a participação dos sócios na administração do clube.

2) Em 14/12/2008 realizou-se uma Assembleia Geral Extraordinária onde foi eleito o senhor Antonio Caputti como presidente e Leonilzo da Costa como secretário do clube. Detalhe: Os Srs. Antonio Caputti e Leonilzo da Costa nunca foram associados do clube Floresta. E mais. Segundo este relatório, esta assembleia jamais aconteceu pois não existe nenhum documento que comprove a sua realização.

Outro detalhe. O presidente eleito, Sr. Antonio Caputti, é reconhecido como analfabeto funcional, ou seja, legalmente incapaz, através de escritura pública lavrada junto ao 1º Tabelião de Notas de Jundiaí.

Sobre esta situação, o Código Civil é bastante claro:

Art. 166 - É nulo o negócio jurídico quando:

I - Celebrado por pessoa absolutamente incapaz.


3) Segundo o relatório, "a eleição do senhor Caputti fez parte de um plano deletério para alienar bens imóveis da Associação Atlética Floresta". Inclusive o Sr. Caputti, presidente eleito irregularmente, teria dito em uma assembleia, inteiramente simulada, que teria votado a favor da venda de parte do patrimônio do clube.

4) O contrato de comodato firmado entre o Clube Floresta e o Círcolo Italiano foi assinado pelo presidente Caputti, que nunca foi sócio do Floresta e jamais poderia assinar documento algum.

5) O Círcolo Italiano jamais cumpriu o comodato não pagando as suas obrigações, ou seja, salários dos funcionários, contas de energia, de água e outros encargos.

6) A DAE S/A executou o clube pelo não pagamento das contas de água. Acontece que quem não pagou as contas de água não foi o clube Floresta e sim o comodatário Círcolo Italiano.

7) A DAE S/A, credor, e o Círcolo Italiano, devedor, firmaram um acordo e foi colocado como garantia um imóvel de propriedade da Associação Atlética Floresta, sem a anuência do clube. Oras bolas, a DAE S/A e o Círcolo Italiano jamais poderiam ter feito um acordo estabelecendo como garantia um imóvel de terceiro.

8) Apurada uma suposta dívida de R$ 35.689,88 foi penhorado e levado a leilão um imóvel do clube com 2.343,24 m², cuja avaliação foi feita na casa dos R$ 2.100.000,00. Este imóvel foi arrematado por R$ 1.050.000,00. Deste valor foi descontada a dívida de pouco mais de R$ 35.000,00, ficando o restante sob a jurisdição da 4ª Vara do Trabalho. Existe uma briga sangrenta na justiça para que pessoas estranhas ao clube saquem os quase R$ 1 milhão remanescentes.

9) O antigo comodatário Círcolo Italiano não mais ocupa o que restou do clube Floresta. Agora está no local uma outra entidade chamada Confederazione Círcolo Italiano Brasil, fato que muito estranhou o administrador judicial que entende que esta Confederazione, fundada em 25/06/2018, foi criada "para fins provavelmente ilícitos".

10) E conclui o administrador judicial da Associação Atlética Floresta: "Em suma, embora esse gestor não tenha meios nem omnisciência para afirmar peremptoriamente, há circunstâncias, presunções e indícios, que desvelam um amplo esquema fraudulento".

E assim caminha a cidade de Jundiaí. Uma terra sem política, uma terra sem respeito às leis, uma terra de ninguém.

Para acessarem o processo do Clube Caxambu, cliquem aqui.

Para acessarem o processo do Clube Floresta, cliquem aqui.

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

ESCULACHO PÚBLICO ! ! !


FOTO: Os deputados federais Miguel Haddad e Aécio Neves, diletos companheiros de uma prática política falida. Ambos votaram a favor das mudanças no fundo partidário. Profundamente lamentável !!!

Um dos principais problemas do projeto aprovado é a possibilidade dos partidos poderem usar o dinheiro desse fundo como bem entenderem.

O artigo nº 44 criou novas possibilidades de utilização deste fundo instituindo uma categoria chamada de "outros", ou seja, o político praticamente poderá fazer o que quiser com o fundo partidário.

Outro problema é a possibilidade de o partido utilizar o dinheiro do fundo partidário para o pagamento de honorários advocatícios para candidatos e ex-candidatos em processos que puderem oferecer a possibilidade de perda de elegibilidade.

Está bom ou querem mais ?

Agora, caros amigos, este blog dará um doce para quem adivinhar quem votou a favor desta sandice. Sabem Quem ? Quem ? Quem ? Quem ?

He He He, ele mesmo. O funesto deputado federal Miguel Haddad, que não ficou nem vermelho ao dizer sim a esta verdadeira esculhambação política aprovada pela Câmara dos Deputados.

Na verdade, não há nada a estranhar na atitude do nefasto parlamentar jundiaiense. Afinal de contas ele é o useiro e vezeiro em votar projetos contra os interesses do povo brasileiro.

Enfim, resta-nos o consolo de que esse tucano ficará apenas até o final do ano como deputado federal. A partir de então, ficaremos livres desta figura fúnebre que nos faz passar vergonha na capital federal.

Confiram abaixo como votou Miguel Haddad sobre esta catástrofe:

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

DESERTO POLÍTICO ! ! !

A Escola de Gestão Pública de Jundiaí é uma autarquia da Prefeitura de Jundiaí, vinculada à Unidade de Gestão de Administração e Gestão de Pessoas, que tem por finalidade executar ações de capacitação voltadas para os servidores públicos municipais.

Muito bem. Acontece que a tal Escola de Gestão Pública de Jundiaí firmou uma parceria com a Receita Federal para a implantação de um Núcleo de Apoio Contábil e Fiscal, cujo objetivo é ofertar serviços fiscais e contábeis, de forma gratuita, para micros e pequenos empreendedores do município. Na prática este núcleo funcionará como um escritório contábil. Um absurdo inacreditável.

Isto é um claríssimo desvio de função desta autarquia. Se morássemos em uma cidade com uma administração pública com um mínimo de seriedade, o diretor desta escola de governo já teria sido exonerado.

Porém, isso aqui virou terra de ninguém, com uma semelhança incrível à Casa da Paraguaia no saudoso Jardim Itatinga, próximo ao aeroporto de Viracopos. As autoridades fazem o que bem entendem e ao arrepio da lei, preocupando-se apenas com os seus interesses políticos pessoais.

Enquanto os seus assessores políticos deitam e rolam ao seu bel prazer, o prefeito Luiz Fernando Machado continua apenas fazendo pose para as fotos e preparando-se para o pleito de 2020.

Pobre Jundiaí. Uma terra riquíssima, mas que é governada há quase 40 anos por pessoas de baixíssima estatura política.

terça-feira, 3 de setembro de 2019

LAVANDO AS MÃOS ! ! !

FOTO: Enquanto infelizes crianças da rede municipal de educação são espancadas pelos pais, as autoridades da prefeitura continuam apenas fazendo pose para as fotografias. Uma vergonha !!!

Nesta semana, uma criança de apenas três anos de idade faleceu no Hospital Universitário, em Jundiaí, vítima de maus-tratos. Ela estava com vários ferimentos pelo corpo, inclusive causados por queimaduras graves. A menina foi levada para o hospital pela mãe e o padrasto. Pouco depois ela faleceu. Os pais foram presos e aguardam julgamento.

Segundo as informações divulgadas sobre o caso, esta criança há dois meses que não comparecia em sua escola.

Diante deste caso gravíssimo ocorrido na cidade, este blog pergunta: Onde estava o Conselho Tutelar durante estes dois meses ? Por que a escola, notando a falta da criança, não enviou alguém à sua residência para verificar o que estava ocorrendo ? As autoridades municipais vão responder por este crime devido à sua negligência ?

Pois é. Agora fica um triste jogo de empurra, onde querem jogar a responsabilidade no outro e não assumirem a sua. Vão vir com aquela desculpa de que a vida é assim mesmo, que as tragédias acontecem.

Uma ova. Se as autoridades municipais tivessem tirado o traseiro da cadeira e agido, esta catástrofe teria sido evitada. Mas não. Eles querem apenas sair bem na foto. O resto que se dane.

Acontece, caros amigos, que uma criança morreu. Alguém terá de ser responsabilizado por isso, além dos pais que já estão presos.

Essa é a tal da escola inovadora ? Vão para o quinto dos infernos !!!

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

TEMPOS DE CENSURA ! ! !

Constituição Federal de 1988

Art. 220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.

§2º - É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.


A Câmara Municipal de Jundiaí aprovou na sessão desta terça-feira, por unanimidade, a suspensão da Tribuna Livre durante o período eleitoral em 2020. Isso é profundamente lamentável.

Um ato de censura bem típico destes tempos fétidos em que vive o país, governado por um lixo nazista chamado Jair Bolsonaro.

Além disso, parece que os nossos vereadores não sabem ler ou não tem vontade de se informar, ignorando totalmente o que diz a carta magna brasileira. Não bastasse a postura de sabujos do prefeito, os vereadores atuais viraram as costas para o povo de Jundiaí, afinal de contas, segundo eles, a população só merece alguma distinção na hora do voto.

Realmente o poder legislativo merece cada vez menos o respeito do munícipe pelo fato de que os interesses particulares destes inúteis estão quase sempre acima do interesse público.

Assim sendo, todos os vereadores que aprovaram por unanimidade este ato de censura merecem o nosso total desprezo, a nossa total repulsa, a nossa total ojeriza e o nosso total menosprezo.

Se eles não tem o espírito público necessário para exercerem o cargo que ocupam, que procurem outra coisa para fazer na vida e deixem a política para aqueles que tem um mínimo de respeito e consideração pelas liberdades democráticas e pelo Estado de Direito.

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

O POVO QUER SABER ! ! !

Como publicamos na postagem anterior que o tucano Miguel Haddad assumiu temporariamente uma vaga na Câmara dos Deputados, é importante que toda a cidade conheça o seu patrimônio declarado à Justiça Eleitoral por ocasião do registro de sua candidatura. Não temos a informação se o valor dos imóveis declarados corresponde ao valor de mercado ou ao valor venal. Confiram os detalhes:

Candidato Miguel Moubadda Haddad - PSDB - Nº 4547

Bens Declarados - Eleições 2018

TOTAL: R$ 29.316.575,11

Descrição ------------- Tipo ---------- Valor do Bem


- 1/3 terreno à R Luiz Rinaldi Jr., s/n° Jundiaí/SP Terreno R$ 40.784,00

- saldo em C/C no Banco do Brasil S/A Ag. 2209 Jundiaí/SP Depósito bancário em conta corrente no País R$ 32.990,00

- terreno n° 31 quadra A Loteamento Residencial Quinta das Laranjeiras Jundiaí/SP Terreno R$ 63.189,00

- lote 12 quadra A no Loteamento Jardim Marambaia Jundiaí/SP Terreno R$ 23.000,00

- 50% imóvel coml. à Av Dr Olavo Guimarães, 10 e 18 Jundiaí/SP Outros bens imóveis R$ 583.881,00

- Terreno n° 9 quadra H - Jd Brasil Jundiaí/SP Terreno R$ 37.000,00

- Aplicado em LCI no Banco Santander S/A Ag. 2014 Jundiaí/SP Outras aplicações e Investimentos R$ 4.290.000,00

- 1657.165 quotas da Empresa Planegram Construções e Planejamento Ltda. CNPJ 04.822.411/0001-13 Quotas ou quinhões de capital R$ 1.657.165,00

- saldo em C/P no Banco do Brasil S/A Ag. 4778-3 Jundiaí/SP Caderneta de poupança R$ 65,00

- Aplicado em renda fixa no Banco Santander S/A Ag. 0040 Jundiaí/SP Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 22.244,00

- 50% imóvel coml. à R. do Rosário, 55 Jundiaí/SP Outros bens imóveis R$ 247.985,00

- linha telefônica Linha telefônica R$ 3.800,00

- 300.000 quotas da Empresa Paulista de Urbanização LTDA CNPJ 11.442.535/0001-77 Quotas ou quinhões de capital R$ 300.000,00

- Benfeitorias (em 1992 ) no terreno à Av Dr. Olavo Guimarães, 10 e 18 Jundiaí/SP Benfeitorias R$ 14.609,00

- 50% terreno à Av Prefeito Luis Latorre, 4300 Vila Ponte de Campinas Jundiaí/SP Terreno R$ 47.293,00

- 1/3 gleba rural (364.152,00²) Gleba 2-B Bairro Buenos Caguaçu Jundiaí/SP Outros bens imóveis R$ 5.221,00

- 653.333 quotas da Empresa Área Urbanização e Loteamentos 14.159.485/0001-75 Quotas ou quinhões de capital R$ 653.333,00

- Aplicado em LCA no Banco Safra S/A Ag. 0152, Campinas/SP Outras aplicações e Investimentos R$ 4.152.000,00

- lote n° 45 quadra 5 Loteamento Jardim Marambaia Jundiaí/SP Terreno R$ 41.400,00

- 1/3 imóvel coml. à R Carlos Gomes,384 Jundiaí/SP Galpão R$ 218.126,00

- 50% - à Praça Rui Barbosa, 45 (rua do Rosário) Jundiaí/SP Terreno R$ 20.000,00

- lote n° 37 quadra 9 Loteamento Jardim Marambaia Jundiaí/SP Terreno R$ 36.000,00

- saldo em C/C no Banco do Brasil S/A Ag. 4778-3 Jundiaí/SP Depósito bancário em conta corrente no País R$ 13.991,00

- 50% à R Senador Fonseca, 596 Jundiaí/SP Terreno R$ 37.455,00

- Aplicado em renda fixa no Banco Santander S/A Ag. 2014 Jundiaí/SP Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 957.690,00

- crédito a receber da Empresa Roma Urbanização e Loteamentos Ltda. CNPJ 10.827.305/0001-25 Crédito decorrente de empréstimo R$ 3.310.000,00

- 5% das áreas gleba A, B e faixa de Adutora, Sítio Ipiranga no Bairro Capivary Vinhedo/SP (herança da cônjuge do declarante em 1982) Outros bens imóveis R$ 25.931,00

- saldo em C/C no Banco do Brasil S/A Ag. 4778-3 Jundiaí/SP Depósito bancário em conta corrente no País R$ 49.949,00

- casa em construção iniciada em 07/2013 - lotes 31 e 32 no loteamento Quinta das Laranjeiras Jundiaí/SP Casa R$ 2.607.455,00

- lote 13 quadra A no Loteamento Jardim Marambaia Jundiaí/SP Terreno R$ 23.000,00

- saldo em C/C no Banco Safra S/A Ag. 0152 Campinas/SP Depósito bancário em conta corrente no País R$ 138,00

- Aplicado em renda fixa na Caixa Econômica Federal Ag. 2209 Jundiaí/SP Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) R$ 900.000,00

- saldo em C/C no Banco do Brasil S/A Ag. 4778-3 Jundiaí/SP Depósito bancário em conta corrente no País R$ 19.627,00

- casa à R Clemente Ferreira, 159 Jundiaí/SP Casa R$ 49.644,00

- terreno n° 10 quadra H - Jd Brasil Jundiaí/SP Terreno R$ 43.000,00

- 1.325.000 quotas da Empresa G. Haddad Empreendimentos Imobiliários LTDA CNPJ 51.271.153/0001-04 Quotas ou quinhões de capital R$ 1.176.974,00

- Toyota Corolla, placas FZU 7548, ano 2018, cor preto Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc. R$ 99.000,00

- 50% terreno à R. Senador Fonseca, 572 Jundiaí/SP Terreno R$ 29.964,00

- lote n° 36 quadra 9 Loteamento Jardim Marambaia Jundiaí/SP Terreno R$ 36.000,00

- 1/3 terreno à R Angelo Corradini, s/n° Jundiaí/SP Terreno R$ 65.117,00

- Honda CRV, placas EIF 5005, ano 2009, cor prata Veículo automotor terrestre: caminhão, automóvel, moto, etc. R$ 95.500,00

- 2.372.666 quotas da Empresa Roma Urbanização e Loteamentos LTDA CNPJ 10.827.305/0001-25 Quotas ou quinhões de capital R$ 5.108.667,00

- terreno n° 32 quadra A Loteamento Residencial Quinta das Laranjeiras Jundiaí/SP Terreno R$ 63.189,00

- 1.094.668 quotas da Empresa R.E. Construções e Empreendimentos LTDA CNPJ 02.898.937/0001-51 Quotas ou quinhões de capital R$ 1.094.668,00

- 50% galpão Industrial à R Cica, 2001 Jundiaí/SP Galpão R$ 372.578,00

- 1/3 imóvel rural (229.223,36m²) Jundiaí/SP Outros bens imóveis R$ 39.952,00

- Aplicado em LCI no Banco Safra S/A Ag. 01524 Campinas/SP Outras aplicações e Investimentos R$ 400.000,00

- 1/3 imóvel rural (32.807m²) Gleba n°9 Bairro Buenos Caguaçu Jundiaí/SP Outros bens imóveis R$ 7.000,00

- crédito a receber da Empresa EPUR Empresa Paulista de Urbanização LTDA CNPJ 11.422.535/0001-77 Crédito decorrente de empréstimo R$ 200.000,00