domingo, 13 de dezembro de 2009

TELEFONEMAS INTRIGANTES ! ! !

Dia desses estávamos terminando de almoçar quando tocou o celular. Era um amigo que estava intrigado e fulo da vida. Dizia ele que estava realizando um serviço no 1º cartório de registro de imóveis quando presenciou uma cena estranha. Um funcionário com cargo de confiança na administração municipal estava alí esbravejando para que suas escrituras fossem liberadas rapidamente. Ele pensou o que qualquer um de nós pensaria: Por que um funcionário com cargo de confiança na prefeitura estaria passando escrituras de imóveis em seu nome ? Naquele momento dissemos a ele que procurasse saber quem era esse funcionário e que levantasse algum documento a respeito do assunto. Passadas algumas semanas, chegaram em nossas mãos os documentos a respeito daquele episódio. Lendo os documentos notamos que eram 15 certidões de escrituras de imóveis passadas, todas em 2009, para o nome da Sra. Kátia Cristina Fruchi Parimoschi, esposa do secretário de finanças José Antonio Parimoschi. Muitos daqueles imóveis eram originários da New Construções e outros da FazGran. Bem, aí quem ficou intrigado fomos nós. Oras bolas, que tranzação foi essa ? Muito estranho. Porém a pergunta que fica é como uma funcionária pública que tem um salário aproximado de R$3.000,00 mensais pode, em apenas 1 ano, passar em seu nome a escritura de 15 imóveis ? Realmente esse tipo de telefonema nos deixam muito intrigados.

17 comentários:

Anônimo disse...

César, creio que muito mais que ficarmos intrigados necessitamos urgentemente de total adesão do Ministério Público para coibirmos aquilo que está tornando-se "comum".

Vc já percebeu que nós meros mortais e cidadãos de quaisquer município, no Brasil, somos hiper, super taxados???

Se essa dona citada tem um salário, semelhante ao meu e for mãe,esposa, com certeza jamais ela teria 15 certidões de escrituras de imóveis passadas em seu nome, a menos que, e é esse justamente a menos que que o MP necessita com urgência investigar.

Não podemos ser reféns de um sistema que está aí para gerenciar os recursos que geramos com tanto suor e sacrifício.

Ministério Público JÁ!!!!!!!!!!

Anônimo disse...

Dona Katia parabéns pelo excelente gerenciamento de recursos!!!!
Com certeza nosso querido Mario Lago não se interessaria nem um pouco pela sua pessoa né!
Afinal ele apreciava mesmo a Amélia, lembra? Ele até dizia que ela sim era mulher de verdade!

É César os tempos são outros com toda certeza. Mas a senhora em referência buscou o lugar certo pois consultando o www.serjus.com.br lá diz:

Além de exprimir o direito de propriedade (garantir que o imóvel realmente pertence a uma pessoa), o Cartório de Registro de Imóveis retrata o histórico completo de cada bem registrado. Assim, o Cartório tem condições de informar, através de certidões, quais foram os vários donos de determinado imóvel, quem são os atuais proprietários, se existem restrições do mesmo ou se há algo que impeça a compra ou a venda do imóvel. Por essas razões, consulte o cartório sempre que for fazer qualquer transação envolvendo imóveis.

Portanto não vejo nada de errado!

Como vê, mudaram mesmo os homens!

Saudades de vc Mário Lago!!

Abandonado Zona Sul disse...

Voltando ao DAE.

Basta dar uma voltinha na Avenida Samuel Martins (Jd. Lago) e sentir o cheiro que vocês perceberão a eficiência do DAE.

Em tempo: Verão também a beleza do asfalto e os radares do Scaringella.

Maravilha!!!

Priscila disse...

TENHO BLOG GALERA MAS É DE LADAINHA HUMANA DE MAZELAS E REALIDADES HUMANAS

OS SERES HUMANOS VIVEM OU SOBREVIVEM

DedoDuro2aMissão disse...

A incrível MULHER-TRAVESSEIRO, não é Funcionária pública, mas freqüênta e tem passe livre na Prefeitura. Faz uso da Kombi com Motorista e tudo para executar suas vendas no Aeroporto em São Paulo.

Anônimo disse...

Hum... Vejamos....

Que tal avisarmos o leão, para ele usar uma malha fina, elegantérrima, e convidar algumas pessoas para a festa na floresta!!!!

Anônimo disse...

e o assunto principal ficou mesmo pra lá...

Anônimo disse...

e têm gente que ainda acredita no Ministério Público, santa ingenuidade!!!

Anônimo disse...

INSISTO EM COPIAR O TEXTO, POIS QUERO SABER NOMES.
PESSOAL DA PREFEITURA, VAMOS AJUDAR NESSA. DEEM OS NOMES...

A MULHER DOS TRAVESSEIROS.
Que segredos se escondem debaixo destes misteriosos travesseiros da Prefeitura de Jundiaí???
Por quê será que tem um motorista que pode levar esta Mulher para vendê-los em São Paulo???
Por quê GPS em Ônibus que são particulares, melhor seria o Miguel Haddad, colocar nos carros da prefeitura? O que acham? Assim saberíamos quanto custa o transporte do travesseiro?

Anônimo disse...

É perto do que acontece em Jundiaí o Arruda do DF é fichinha, mas a oposição em Jundiaí tem um grave problema também só esperneia em época de eleição, agora por exemplo ninguém faz um movimento contra os abusos da cidade.
É triste mas a população jundiaiense aceita e não enxerga essas coisas!

cremilda disse...

A mãe comenta que professora de escola pública coloca seus filhos em escola particular.. que se escola pública fosse boa, isso não acontecia… ao que a professora respondeu :
- “para pagar escola para meus filhos, eu trabalho”…
Professora sempre chama mãe que reivindica melhoria na escola pública de “vagabunda”…
No caso da professora, de modo geral elas não trabalham… elas enganam sob o manto protecionista da impunidade e da corrupção que envolve a escola pública de modo geral.
Professoras não trabalham porque nunca são cobradas.
Os pais cobrarem é legitimo e justo, uma vez que a escola pública não é esmola que a professora dá para os filhos de pais pobres e desocupados…
O salário das professoras – inclusive o dessa que chamou a mãe de vagabunda – é pago com o suado imposto do trabalhador. O trouxa do contribuinte que paga a vida inteira… e quando cobra é chamado de vagabundo.
Essa professora – da escola municipal de ensino fundamental Emef Benjamin Jaffet, de Cotia-SP – é tida como professora áspera e que grita com os alunos. Grita tanto como se fossem um bando de animais.
Dizem que essa professora será promovida a diretora… e imaginem que tratamento terão os pais que tiverem a infelicidade de precisar matricular o filho na escola onde ela dirigir…
A escola pública redescobre a lei da gravidade. Ao invés de ser punida é promovida.
Exatamente como aconteceu na EE Adelaide Ferraz de Oliveira, onde o Coordenador veio da EE.Octacilio de Carvalho Lopes. Denunciado de fatos gravíssimos, entre eles de crime inafiançável ( bullying=tortura), ele foi promovido a Cordenador Pedagógico. Esse CP da Adelaide Ferraz de Oliveira, segundo informações não cumpre horário e vai na escola quando quer. A nulidade e o crime premiado, como sempre acontece na escola pública do estado de São Paulo.
Resultado da política nefasta do PSDB. Tomara que ano que vem o povo dê o troco.

Anônimo disse...

Bem, se a moça continua tendo salário de 3 mil reais como funcionária pública, surge, então, uma nova denúncia... não pode receber nem um real.

Graúna disse...

Acho que o Arruda não conhece um certo terreiro lá em Barão Geraldo!

Baco de Litre disse...

Não saber matemática é um caso sério!
Ó como faz:
12 meses vezes 3.000 igual a 36.000. Trinta e seis mil reais divididos por 15 terrenos custou cada um a importância de R$ 2.400,00.
Viu?
Pergunta pra quem sabe.

Anônimo disse...

Vamos melhorar essa conta?
Sobrou ainda o 13º salário e 1/3 de férias.
Bom né?

Anônimo disse...

meus 10.000 contatos receberão essa postagem Cesar. O povo precisa abrir o olho. abraço.

Anônimo disse...

devidamente denunciado ao jornal BOM DIA BRASIL... talvez te procurem Cesar... abç