quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

VIDA DE GADO ! ! !

FOTO: Prefeito tucano Luiz Fernando Machado presenteou R$ 850 mil à LIJUNES para um carnaval de rua que não vai acontecer.

Diz assim a música do cantor Zé Ramalho: " Povo marcado, povo feliz ". Continuando com o tratamento de gado oferecido ao povo de Jundiaí, o governo do PSDB carimba as costas da manada mais uma vez.

A prefeitura de Jundiaí destinou à nossa LIJUNES - Liga Jundiaiense das Escolas de Samba, o valor de R$ 850 mil para o desfile na avenida Luiz Latorre durante o carnaval de 2017.

Acontece que o alcaide Luiz Fernando Machado cancelou o carnaval de rua. A pergunta que não quer calar é a seguinte: A LIJUNES devolveu os R$ 850 mil repassados pela prefeitura, já que não haverá o desfile ?

Não, não devolveu nada. Absolutamente nada. Nadica de nada.

Isso quer dizer que o pobre dinheiro do povo está voando na penumbra cinzenta emitida pelos governos tucanos que se sucedem na cidade há mais de 20 anos. Profundamente lamentável.

Alguém tem de responder por isso. Não é possível que esses prefeitos continuem jogando o dinheiro dos munícipes pela janela sem o menor constrangimento e tudo fique por isso mesmo, como se a nossa cidade fosse a alegre e eletrizante Casa da Irene.

O prefeito Luiz Fernando Machado precisa ter um pouco de vergonha, parar de fazer sua demagogia barata pela cidade e tratar Jundiaí com a seriedade que ela merece. Se não for assim, que o alcaide pegue seu boné e volte para a Bahia, de onde nunca deveria ter saído.

Apenas para refrescarmos a memória, confiram abaixo a publicação na Imprensa Oficial do Município do caminhão de dinheiro que o executivo entregou à LIJUNES para um carnaval que não vai acontecer :

***** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

DEPREDAÇÃO DA SERRA ! ! !

Muitas pessoas que moram na região do Caaguaçu relataram o caos e a barbárie que acontece na estrada parque nos fins de semana.

Churrascos, gritarias, motoristas alcoolizados e festas de arromba em nosso santuário ecológico. Além disso, também ocorrem muitas brigas envolvendo várias pessoas, inclusive mulheres, com armas brancas mas com martelo no meio destas brigas.

Tudo aquilo que não deveria ocorrer em nossa Serra do Japi acontece debaixo das barbas da prefeitura. Os fatos já foram denunciados para a Guarda Municipal mas até agora nada. Nenhuma providência.

Enquanto o geógrafo e professor universitário brasileiro, Aziz Ab'Saber, travou uma luta sem fronteiras para o tombamento de nossa Sera do Japi, o prefeito Luiz Fernando Machado faz discurso para os garis, vai assistir de perto os médicos consultando no Hospital São Vicente e vai acompanhar a poda de capim nos jardins da cidade, sem se importar com a depredação de nosso patrimônio ambiental.

Caros amigos, é nas mãos desse tipo de gente que a nossa cidade está entregue. Políticos incapazes, inábeis, incompetentes e xexelentos, que usam de uma postura demagógica para ludibriar toda a população pensando apenas em suas carreiras políticas.

É como dizia o escritor e jornalista austríaco Karl Kraus: " O segredo do demagogo é se fazer passar por tão estúpido quanto a sua platéia para que esta imagine ser tão esperta quanto ele ".

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

FALTA DE VERGONHA ! ! !

A prefeitura fará homenagem aos 150 anos da inauguração da Estrada de Ferro São Paulo Railway que ligava Jundiaí a Santos. De acordo com nossas autoridades municipais, a homenagem à ferrovia busca mostrar a sua importância histórica para a cidade.

Realmente essa gente tucana não tem um pingo de vergonha na cara.

Todo o acervo ferroviário de Jundiaí está completamente abandonado à ferrugem e ao descaso com a coisa pública.

Uma cidade considerada o berço da ferrovia em toda a América Latina, hoje é o palco desta falsidade e desfaçatez com a nossa memória.

O PSDB e seus prefeitos de fundo de quintal estiveram durante 20 anos ocupando o 8º andar da prefeitura e não investiram um real sequer na recuperação e preservação do patrimônio ferroviário deste município.

Agora eles vem com esta enganação, achando que os jundiaienses não passam de um bando de trouxas que acreditarão nesta conversa fiada.

Apenas para refrescarmos a memória, assistam a este vídeo produzido pelo blog que mostra o estado lamentável de abandono deste enorme e inestimável patrimônio que o PSDB faz de conta que não vê:

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O AMIGO DA ONÇA ! ! !

O prefeito Luiz Fernando Machado está batendo no peito e mostrando que fará a reforma administrativa para reduzir o custo da prefeitura.

Mais uma estrondosa enganação ao povo de Jundiaí. Ninguém merece.

Em primeiro lugar o alcaide declarou que vai incorporar o adicional de nível universitário ao salário base. Oras bolas, o custo final do salário será o mesmo, apenas a nomenclatura será diferente. E o prefeito nem ficou vermelho com essa mentira.

Depois disse que vai reduzir a quantidade de comissionados eliminando 125 cargos de confiança.

Esta redução deixará a prefeitura com 350 cargos comissionados, o que gerará um custo anual de R$ 40 milhões ao erário municipal.

Nos quatro anos de mandato serão gastos R$ 160 milhões apenas com a remuneração dos cargos de confiança.

E os servidores do Hospital São Vicente de Paulo ainda não receberam a metade do seu 13º salário a que fazem jus sob o argumento de que a nossa prefeitura não tem dinheiro.

É inacreditável. Um escárnio. Um desplante. Uma desfaçatez.

Mas o jeito de se administrar uma cidade como se fosse uma edícula de fundo de quintal já está gerando inúmeros problemas.

Por exemplo, o Centro de Serviços da prefeitura está em pé de guerra.

Os chefes do Centro de Serviços estão sendo considerados pelos seus servidores como monstros, porque com uma máquina carregaram vasos caros de plantas raras, que são propriedade do município, em cima de um caminhão para serem jogados fora como entulho. Além disso, estão causando desunião entre os servidores.

Meus amigos, esses caras vieram de onde ? Da Bahia ? De que planeta ?

Pois é. É simples: Dê o poder a alguém que descobrirá quem ele é.

E o prefeito Luizinho Malvadeza continua fazendo pose nos jornais.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

CASTELO DE AREIA ! ! !

Os nomes de José Aníbal (PSDB) e Michel Temer (PMDB) aparecem em uma planilha apreendida na Camargo Corrêa pela Polícia Federal.

No curso das investigações da operação Lava Jato, a Polícia Federal prendeu três diretores da Camargo Corrêa, acusados de participar de um esquema de corrupção na Petrobras. Na ocasião, apelidada pela PF de "Juízo Final", os investigadores também apreenderam na sede da Camargo Corrêa uma outra planilha.

Os números somam, segundo o documento, US$ 260 milhões. São sete os políticos citados ao lado de valores. A Polícia Federal suspeita que esses valores se refiram a propina paga aos políticos, provavelmente entre 1990 e 1995.

Entre os políticos relacionados na planilha, estão o governador de São Paulo de 1994 e 2001, Mário Covas, o atual presidente da República, Michel Temer e o então deputado federal José Aníbal, do PSDB.

O então deputado tucano José Aníbal aparece três vezes na lista. Os pagamentos a ele, segundo o documento, somam US$ 90 mil.

O primeiro, de US$ 40 mil, relacionado a um projeto de "canalização, pavimentação e ponte" em Botucatu. O segundo pagamento (US$ 30 mil) e o terceiro (US$ 20 mil), a um projeto que envolvia canalização, pavimentação e a construção de uma barragem em Jundiaí.

Uma das hipóteses para os pagamentos descritos na tabela da Camargo Corrêa envolve emendas parlamentares, um vil instrumento em que os deputados e senadores destinam suas verbas do orçamento a projetos públicos, sobretudo obras.

Nas emendas parlamentares de José Aníbal, há uma de R$ 200 mil, em 1995, para uma barragem em Jundiaí, como foi descrito na planilha da Construtora Camargo Corrêa.

Entre 1994 e 1998, durante as administrações dos ex-prefeitos André Benassi e Miguel Haddad, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo apontou um superfaturamento de 320% nas obras de barragem de nossa represa, obras estas realizadas pela Camargo Corrêa.

Além disso, estes ex-prefeitos deixaram uma dívida de R$ 20 milhões com a empreiteira, dívida que não foi paga e acabou sendo executada na justiça pela construtora.

Apenas para vislumbrarmos todo este episódio lamentável e prejudicial à Jundiaí, assintam ao vídeo abaixo que mostra claramente qual era a prática política e financeira que envolvia a Camargo Corrêa e o poder público nos três níveis de governo: