segunda-feira, 16 de outubro de 2017

FIM DE FEIRA ! ! !

FOTO: Enquanto o prefeito Luiz Fernando Machado passeia contente pela cidade com o seu criador Miguel Haddad, o povo de Jundiaí deu com a cara na porta com o cancelamento da Feira da Amizade.

A Feira da Amizade foi fundada por Dna. Mercedes Ladeira Marchi. Em 1969 ela criou a Feira da Bondade, que serviria para colaborar com a Apae para construir um edifício novo para o atendimento dos pacientes.

Posteriormente a feira foi ampliada para outras entidades e passou a ser chamada de Feira da Amizade.

Por 15 anos, durante os governos do PSDB, a Feira da Amizade deixou de ser realizada sendo retomada apenas em 2013.

O evento contava com espaços destinados às entidades assistenciais da cidade, cuja renda era revertida para as próprias instituições.

Além disso as atrações culturais eram programadas para o evento a fim de agradar a todos os públicos, principalmente as crianças que poderiam ter diversão garantida por vários fins de semana.

Porém, o atual governo do PSDB acabou com a festa com a desculpa de que o evento é muito caro alegando que em 2016 o custo foi superior a R$ 1 milhão e agora a administração não tem esse dinheiro para gastar.

É claro que o alcaide Luiz Fernando Machado e o burgomestre dos cofres Parimoschi escondem do público que a prefeitura vai gastar reles R$ 50 milhões por ano com as despesas dos penduricalhos políticos nomeados para ocuparem os mais de 400 cargos de confiança.

Isso mostra que o lazer da população, o incentivo cultural e as entidades assistenciais são apenas um enfeite na prateleira política do PSDB.

É como dizia o bom e velho Barão de Itararé: " Este mundo é redondo, mas está ficando muito chato ".

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

CIDADE ATOLADA ! ! !

Um monstruoso mar de lama está se aproximando de Jundiaí.

No início deste ano a revista Veja denunciou que as faculdades privadas ganham rios de dinheiro e lesam alunos que dependem da ajuda federal.

A reportagem citou o Grupo Kroton como exemplo de porta aberta para fraudes, do qual a Unic - Universidade de Cuiabá faz parte, assim como a Unirondon e a Anhanguera.

A família Galindo, do ex-prefeito de Cuiabá Chico Galindo, administra este império do ensino superior, que tem 120 campus no país e 1 milhão de alunos sob a sua batuta.

A reportagem fala em um faturamento que chega a R$ 2,5 bilhões e em superfaturamento do preço das mensalidades.

A matéria revelou uma série de irregularidades que estariam ocorrendo há pelo menos dois anos e que continuam sendo praticadas, apesar dos protestos de alunos e professores.

Informa que estaria ocorrendo pagamento de propina para a aprovação em disciplinas, já que, para conseguir renovação no FIES, o acadêmico precisa da aprovação em 75% das disciplinas. Sem alcançar a todo esse percentual, iniciaria o processo de fraude envolvendo o financiamento do governo federal.

Os responsáveis por tais fraudes teriam inclusive uma rede para captar possíveis "clientes". Há relatos de alunos que foram beneficiados pela aprovação fraudulenta e, ao não concretizarem o pagamento, tiveram a aprovação "estornada" como forma de pressão para que eles honrassem o compromisso de encher os bolsos dos corruptos.

Um dos sócios da Kroton, Walfrido Mares Guia, segundo a Procuradoria Geral da República, também teria se beneficiado de volumosos recursos procedentes de um enorme esquema que envolveu o processo corrupto do mensalão tucano. De acordo com a procuradoria, a quantia de R$ 3,5 milhões foram desviados de empresas estatais mineiras para financiar a campanha a governador de Eduardo Azeredo, do PSDB, onde ele próprio, Walfrido Mares Guia, era o candidato a vice-governador.

É esse tipo de empresa que o prefeito Luiz Fernando Machado, criatura política do funesto deputado federal Miguel Haddad, estará contratando para "elevar" a qualidade do ensino público municipal de Jundiaí.

O PSDB está enterrando o pouco que resta de um município civilizado.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

A MORTE DA EDUCAÇÃO ! ! !

Uma parceria da Unidade de Gestão de Educação com um dos maiores grupos de educação do mundo será realizada com a milionária empresa Anhanguera Educacional – Grupo Kroton.

De acordo com o gestor de Educação, José Antonio Parimoschi, essa é uma nova forma que a administração municipal encontrou de realizar parcerias com instituições especializadas e que podem cooperar com o desenvolvimento da educação no município.

Assim falou o gestor: "Começamos com sete unidades e, dependendo dos resultados alcançados com o projeto, estenderemos para outras escolas do Sistema Municipal de Ensino, visando a elevar o padrão da qualidade de ensino em nossa rede", explica o guarda cofres.

Trocando tudo em miúdos: Começou a entrega da educação pública de Jundiaí para os grupos de ensino privado.

Ora, é só isso que o PSDB sabe fazer. A liquidação do patrimônio público construído com o dinheiro do povo há muito tempo está sendo repassado gratuitamente para a iniciativa privada.

A nossa secretaria municipal de educação tem um orçamento superior a R$ 500 milhões ao ano, aproximadamente 4.000 funcionários na pasta e um canal de televisão educativa.

Mesmo com toda esta estrutura não conseguem alfabetizar as crianças, uma vez que os alunos tem chegado na 5ª série como meros analfabetos funcionais, ou seja, sem saber ler e nem escrever corretamente.

Em uma prefeitura que não tem política de educação, que não valoriza o seu professor e acha que a solução é a " Escola sem Partido ", a pobre educação pública só pode acabar mesmo nas mãos da iniciativa privada.

Mas o prefeito Luiz Fernando Machado não está preocupado com isso. O que interessa mesmo é a sua carreira política, mesmo que para isso ele deixe para trás uma terra arrasada.

Nada a estranhar, afinal de contas o alcaide caiu de paraquedas aqui em Jundiaí apenas para asfaltar o caminho de suas futuras eleições.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

ESCONDENDO DO POVO ! ! !

Dia desses estávamos navegando no site da prefeitura para estas nossas averiguações de praxe, quando nos deparamos com um assunto onde as autoridades municipais devem uma explicação ao povo desta cidade.

A nossa prefeitura de Jundiaí, nos termos do Processo nº 12.915-7/2017, realizou um concurso público para o cargo de Auditor Fiscal de Tributos Municipais, cuja prova foi realizada em 20 de agosto de 2017.

Mais de 2.000 pessoas se inscreveram para este concurso provindas dos mais variados lugares deste brasilzão sem porteira.

Este concurso foi suspenso, tendo em vista uma liminar deferida pelo Meritíssimo Juiz de Direito da Vara da Fazenda Pública de Jundiaí, Dr. Gustavo Pisarewski Moisés, através do lídimo Mandado de Segurança nº 309.2017/039720-9, Processo nº 1016665-30.2017.8.26.0309.

Este Mandado de Segurança foi impetrado por um dos candidatos aos cargos alvos deste concurso, Robson Teixeira Neves. Aí começam os fatos que devem merecer explicações por parte do executivo municipal.

O senhor Robson Teixeira Neves é servidor público municipal concursado exercendo sua função de Agente de Fiscalização de Posturas Municipais, um trabalho que é feito na rua.

Sua esposa, Karina Bizarro Neves, foi nomeada pelo Gestor Parimoschi como Diretora do Departamento de Tributos, símbolo CC-3, através da Portaria nº 160 de 31 de janeiro de 2017.

Posteriormente à sua nomeação, a diretora Karina Neves trouxe para a sua diretoria como seu subordinado o próprio marido, o mesmo Robson Teixeira Neves que conseguiu a anulação do concurso.

Acontece que isso é ilegal. Diz o seguinte o Estatuto dos Funcionários Públicos Municipais a respeito deste assunto:

Artigo 129 - Ao servidor é proibido:

Inciso VIII - manter sob sua chefia imediata, em cargo ou função de confiança, cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau, inclusive;


Oras bolas, a Diretora do Departamento Tributário trouxe para ser o seu subordinado o seu próprio marido, e em desvio de função.

E foi o marido da diretora que, por não ter sido aprovado neste referido concurso, conseguiu na justiça a suspensão do certame até a análise do mérito na justiça, promovendo prejuízo e indignação em uma legião de pessoas que prestaram as provas.

Tudo isso sob as barbas do gestor de finanças, que vive arrotando a sua moralidade para cima da administração anterior.

He He He, Que Coisa, Hein ? Um absurdo que não tem tamanho.

Com a palavra o burgomestre das finanças, José Antonio Parimoschi.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

E DÁ-LHE IMPOSTO ! ! !

O prefeito Luiz Fernando Machado aproveitou a catástrofe do execrável projeto Escola sem Partido e fez aprovar na última sessão do legislativo um significativo aumento de impostos municipais.

Na calada da noite e na surdina, a maioria dos vereadores locais, meros capachos do executivo, aumentaram as alíquotas do ISS, IPTU e as taxas de licença de funcionamento, que quase dobraram.

Trocando em miúdos, as micro e pequenas empresas serão sangradas e tripudiadas pela prefeitura sem o menor constrangimento.

Então funciona assim: De um lado o prefeito e o seu gestor de finanças, dizendo que não tem dinheiro, nomeiam 400 cargos de confiança a um custo de R$ 50 milhões ao ano; de outro, o prefeito aumenta impostos para os judiados micro e pequenos empresários que vão pagar a conta da politicagem do PSDB.

Que vergonha, hein ? Tudo na moita, ao pé do ouvido, para ninguém e para que nenhuma empresa ouça ou fique sabendo.

E a maioria dos vereadores se prestaram a este papel ridículo, grotesco e estapafúrdio apunhalando o munícipe pelas costas e sob as ordens do alcaide carreirista oriundo da Bahia.

E o pior. Os representantes das entidades ligadas ao comércio já foram correndo lamber as botas do governo municipal em um encontro recente que reuniu vários representantes deste setor.

Quem sabe sentindo a dura dor no bolso com esta puxada de tapete, os comerciantes da cidade não acordam para a vida e dão um pontapé no traseiro dessa gente que manipula o poder público há mais de 30 anos.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A NOVA INQUISIÇÃO ! ! !

Em 1216 o Papa Inocêncio III encomenda a São Domingos de Gusmão um tribunal especial que seria sediado em Toulouse, na França. Em 1229 a estrutura da inquisição foi definida no Concílio de Toulouse. E em 1231, dois anos depois, o Papa Gregório IX dava início ao Santo Ofício.

Foram 628 anos de atividades da Inquisição onde cerca de 3 milhões de pessoas foram queimadas vivas enquanto os seus bens eram confiscados pelo Vaticano para financiar a Santa Sé.

Parece que estes tempos de obscurantismo político e religioso estão de volta entre nós, no Brasil e em Jundiaí.

Dia desses o general Antônio Hamilton Mourão, um mero burocrata de Brasília, além de pregar abertamente um novo golpe militar no país, propôs que o Brasil se livre de vez de suas heranças ibérica, indígena e africana. Como se fossemos implantar aqui uma "solução final" para os descendentes destes povos.

Aqui na cidade já começa a se alastrar um fundamentalismo religioso execrável, com discursos racistas e discriminatórios.

É preciso deixarmos aqui bem claro quem são aqueles responsáveis por destilarem esta política do ódio nesta cidade.

De um lado todos identificamos os vereadores pastores evangélicos que levaram a sua claque para aprovarem projetos escravagistas na última sessão do legislativo. Além destes, outros vereadores com pensamentos fascistas e de extrema direita insuflaram a sua turba para que estes atos lamentáveis de exclusão social comecem a se instalar no município.

De outro lado está o prefeito Luiz Fernando Machado que tem afirmado que o seu governo é dirigido à "família tradicional jundiaiense". Como a maioria absoluta da população local não pertence à "família tradicional jundiaiense" ficou claro que o alcaide virou as costas para o nosso povo menosprezando quem não pertence à "família tradicional jundiaiense".

Os resultados deste pensamento elaborado por esta reles elite branca, racista, discriminatória e escravagista já começam a aparecer.

Nas últimas horas foi queimado um centro de Umbanda na cidade por fanáticos religiosos que estão sendo orientados pelo status quo.

Em pleno século XXI a cidade de Jundiaí está retrocedendo à tirania da Idade Média, onde os inimigos dos poderosos eram queimados vivos nas fogueiras dos Autos de Fé em nome de Deus.

Confiram abaixo alguns detalhes destes tempos tenebrosos onde o poder da Igreja estava acima do poder do Estado:



quarta-feira, 27 de setembro de 2017

O FIM DA EDUCAÇÃO ! ! !

FOTO: Coronel Jarbas Passarinho (de óculos), o principal responsável pelo planejamento estratégico do desmonte da educação pública.

Era o dia 13 de dezembro de 1968. O AI-5, o mais infame de todos os Atos Institucionais, foi emitido pelo então presidente, Mal. Artur da Costa e Silva. Naquele dia, o ministro do Trabalho e Previdência Social, Cel. Jarbas Passarinho, assinou o ato mandando às favas todos os seus escrúpulos de consciência.

Posteriormente, o presidente sucessor, Gal. Emílio Garrastazu Médici, nomeou o mesmo Cel. Jarbas Passarinho como ministro da Educação.

Começava ali a liquidação da educação pública no Brasil.

Gradativamente o coronel ministro foi reduzindo os investimentos em educação pública ao mesmo tempo em que investia e apoiava com todas as suas forças o crescimento da educação privada.

O resultado está diante de nossos olhos: A morte da educação pública.

Para todos nós jundiaienses, a constatação final do óbito educacional se deu na sessão da Câmara Municipal de ontem com a aprovação daquele projeto lamentável chamado de " Escola sem Partido ".

Os vereadores que aprovaram esta sandice receberam os aplausos dos seus iguais, ou seja, das viúvas da ditadura militar.

É claro que todos estes vereadores e seus sabujos, saudosos do regime dos torturadores, jamais foram colocados no pau de arara, nem foram submetidos a sessões de afogamento e muito menos foram sentados na cadeira do dragão para receberem choques elétricos, sob os olhares dos covardes escondidos dentro da farda do exército sob o comando do vil e assassino Cel. Ustra nos porões do DOI-CODI.

Mesmo assim estes parlamentares com cérebro de ostra e aqueles seus seguidores com QI de lagartixa, desferiram agressões incalculáveis, mas certeiras, contra a classe dos professores.

Como diz o prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, tudo em nome da " família tradicional jundiaiense ".

Os membros do magistério jamais poderiam ser tratados desta maneira por serem profissionais imprescindíveis para o nosso futuro.

Mas os vereadores não enxergaram assim, se é que eles conseguem ver alguma coisa. Simplesmente colocaram uma pá de cal na sepultura da educação pública pois ao enterrarem o magistério a sua ignorância não ficará tão evidente como está hoje.

Enfim, é como diz o título de um grande romance brasileiro de autoria do escritor Ignácio de Loyola Brandão: " Não Verás País Nenhum ".

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

SEM EDUCAÇÃO ! ! !

FOTO: Esse trio está liquidando com a educação pública em Jundiaí.

Para começarmos a conversa vamos deixar bem claro que o prefeito Luiz Fernando Machado é cria política do deputado federal Miguel Haddad.

Fazem as suas manobras sempre a quatro mãos. E a liquidação de nossa educação pública é uma delas.

Para este projeto de sucatear o ensino municipal a serviço das escolas privadas, colocaram como gestor da educação o administrador José Antonio Parimoschi, que nunca administrou nada em sua vida privada e mal sabe tomar conta da chave do cofre, quanto mais poder entender a política de educação, setor imprescindível para o nosso futuro.

Pela enésima vez dizemos aqui que o gestor Parimoschi vive reclamando que recebeu muita dívida do governo anterior, esquecendo-se o ínclito burgomestre das finanças que ele próprio, no final de 2012, deixou para o seu sucessor uma dívida de R$ 355 milhões, conforme os nossos amigos podem conferir no quadro abaixo:

****** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO ******

Imprensa Oficial do Município - 29/11/13 - Página 54



Baseado nesta tese mentirosa da falta de dinheiro o gestor Parimoschi, responsável pela educação pública municipal, anunciou que vai reduzir o horário das escolas, ou seja, o ensino não ocorrerá mais em período integral e sim parcial porque o executivo está sem dinheiro.

Além disso, o guarda cofre Parimoschi está buscando parcerias com as empresas privadas para prestarem serviços educacionais gratuitos para a prefeitura, porque o executivo está sem dinheiro.

Disse ainda o gestor Parimoschi que é preciso que ocorra um estudo de demanda para a manutenção das escolas, como se a educação fosse um mero item de política econômica.

Apenas dois cometários sobre as barbaridades ditas por sua excelência, o monarca e gestor Parimoschi:

1) Se o prefeito Luiz Fernando Machado e o monarca e gestor Parimoschi exonerassem os mais de 400 cargos de confiança que estão nomeados na prefeitura, a um custo de R$ 50 milhões ao ano ( serão R$ 200 milhões em 4 anos ), haveria dinheiro mais do que suficiente para que houvesse uma administração competente da educação pública municipal.

2) Enquanto o gestor Parimoschi vai cometendo as suas barbaridades e liquidando com a educação pública, o prefeito Luiz Fernando Machado está fiscalizando o corte de mato na cidade em defesa de nossa "família tradicional jundiaiense", verdadeiro pilar da aristocracia política local.

Caros amigos, a cidade de Jundiaí não merece isso.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

FISCAL DA NATUREZA ! ! !

FOTO: O prefeito de Jundiaí fiscalizando o corte de mato da represa.

O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, e o gestor da Unidade de Governo e Finanças, José Antônio Parimoschi fizeram vistoria nas obras de limpeza da represa. O serviço tem como objetivo retirar a vegetação aquática identificada no reservatório.

Realmente está faltando serviço na prefeitura. É preciso que toda esta cidade se una e comece a dar trabalho para estes políticos que não tem o que fazer. É muito discurso e quase nenhum resultado.

A educação pública abandonada e sem secretário, a saúde pública no fundo do poço e com o Hospital São Vicente falido pela incompetência do PSDB, os serviços públicos inexistem com as ruas entregues às traças, o servidor público municipal sem aumento de salário neste ano, etc...

Com todo este caos tomando conta da cidade, o prefeito e seu servil e fiel escudeiro, que tem a chave do cofre, foram fiscalizar e vistoriar as atividades de corte de mato da represa.

Estão brincando de governar uma cidade. Este município não merece ser administrado por pessoas que não tem nenhum espírito público.

Com todos os gravíssimos problemas políticos, econômicos e sociais que assolam Jundiaí, os dirigentes tem a cara de pau de irem fiscalizar este corte de mato. Vão caçar sapo com bodoque.

Pelas barbas do profeta. É o fim da picada. É o ó do borogodó.

É como disse certa vez o nobre dramaturgo e jornalista irlandês George Bernard Shaw : " A democracia muitas vezes significa o poder nas mãos de uma maioria incompetente ".

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

SESSÃO DOS HORRORES ! ! !

Depois de um longo e tenebroso inverno estivemos presentes na sessão de ontem da Câmara Municipal de Jundiaí.

Mais uma vez o malfadado, infeliz e miserável projeto da " Escola Sem Partido " foi o alvo principal da noite.

O plenário estava lotado. A grande maioria dos presentes era formada por professores totalmente contrários à este projeto de lei desprezível e que só poderia partir da cabeça de quem não tem nada o que fazer.

A favor desta desgraça legislativa havia só uma meia dúzia de fascistas e viúvas da ditadura militar que ficaram rosnando o tempo todo.

Porém, o ponto alto desta vergonha toda foi a postura triste do autor do projeto, vereador Antonio Carlos Albino, do PSB, que ficou o tempo todo sorrindo e se divertindo com a turbulência toda ocorrida no plenário.

Não poderia ser diferente para um edil que não cumpre com o seu papel de fiscal do executivo, limitando-se a ficar de joelhos diante dos favores políticos recebidos do alcaide do município.

Aliás, este vereador não explicou até hoje as dúvidas que envolvem sua prestação de contas relativas às eleições de 2016.

Apenas relembrando: O vereador, que era investigador da polícia civil e recebendo um salário em torno de R$ 4 mil, declarou à Justiça Eleitoral, como candidato, um patrimônio de R$ 1.958.897,75.

Apenas 3 meses depois, já como vereador, apresentou junto à Câmara Municipal um outro patrimônio de R$ 4.530.000,00.

Explicar é preciso. Vamos lá vereador, força que o senhor consegue.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

O PSDB E A CENSURA ! ! !

Na noite de sexta-feira uma liminar judicial suspendeu a apresentação de uma peça teatral que fazia parte da programação de teatro no SESC relativa à semana da diversidade sexual.

O prefeito Luiz Fernando Machado, do PSDB, apoiou este ato de censura colocando-se como defensor da " família tradicional jundiaiense ".

Oras bolas, caros amigos, que " família tradicional jundiaiense " é esta a que o alcaide se refere ?

É claro que não se trata da família do negro, do homossexual, do pobre ou do nordestino. O prefeito se referiu a uma vil elite branca, racista, discriminatória e escravagista que manipula esta cidade de acordo com os seus interesses políticos e comerciais.

Realmente vivemos tempos difíceis e de obscurantismo político.

Apenas para refrescarmos a memória, assistam a este vídeo que mostra uma época onde a censura fazia parte da vida política brasileira:

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

A GOSTOSA POLÍTICA ! ! !

" A prosperidade ou a ruína de um estado depende só da moralidade de seus governantes ". (Thomas More)

É a mais pura verdade. Uma frase cuja carapuça serve exatamente para os políticos da cidade de Jundiaí.

O atual governo do PSDB na cidade vive contando em prosa e verso que a administração anterior quebrou o município. Oras bolas, diante disso o prefeito e seus assessores deveriam economizar dinheiro para tamparem o buraco deixado pelo ex-prefeito.

Mas não é isso o que acontece nesta terra de Petronilha Antunes.

Nos primeiros meses deste ano, o nobre prefeito Luiz Fernando Machado e seus assessores gastaram, apenas com viagens e hospedagens, algo em torno de R$ 140 mil. Um escândalo !!!

Uma destas viagens do alcaide, pasmem os senhores, foi com destino a Brasília onde o prefeito foi assistir a posse no Supremo Tribunal Federal do ministro Alexandre de Moraes.

A pergunta que fica é a seguinte: O que esta viagem trouxe de útil para Jundiaí ? Nada, absolutamente nada.

Apenas recordando que este ministro foi advogado em pelo menos 123 processos ligados à Transcooper.

A Transcooper era a maior cooperativa de lotações da capital paulista. Entre janeiro de 2011 e janeiro de 2015, o atual ministro do STF era um de seus advogados.

Esta cooperativa era investigada por supostamente lavar o dinheiro que era obtido pelo PCC com o crime, segundo publicou o jornal O Estado de São Paulo em matéria que pode ser lida aqui.

Agora, a questão é a seguinte: Se a prefeitura não tem dinheiro eles não deveriam ter viajado às custas do erário municipal.

Enquanto tudo isso aconteceu, os funcionários do Hospital São Vicente ainda não receberam o seu 13º salário, que deveria ter sido depositado em dezembro de 2016.

A política é uma festa, é ou não é ? Todos eles passeando pelo país das maravilhas com tudo pago pelo nosso dinheiro.

Só por curiosidade, se os amigos quiserem consultar as mordomias dos governantes do PSDB de Jundiaí é só clicarem aqui

terça-feira, 12 de setembro de 2017

APOTEOSE DA MENTIRA ! ! !

Em reunião realizada em Brasília na manhã desta terça-feira, 12/09/17, o GRENDACC foi comunicado pelo Ministro da Saúde, engº civil Ricardo Barros, que não haverá credenciamento do Hospital da Criança junto ao SUS. O argumento foi o seguinte: Não há dinheiro.

Não vamos aqui mostrar novamente os descalabros e crimes financeiros cometidos por este ministro de beira de estrada. Os amigos deste blog não merecem este desrespeito.

O ponto principal agora é que os tucanos Miguel Haddad, Luiz Fernando Machado e Gustavo Martinelli mentiram para o povo de Jundiaí.

Criaram falsas esperanças nestas crianças com câncer e seus familiares apenas para satisfazerem aos seus interesses políticos pessoais, quando só pensavam nas próximas eleições. Profundamente lamentável.

Uma catástrofe política sem precedentes. Como é que pode uma casta política moribunda e nojenta como esta usar a doença de crianças para massagear as suas vaidades políticas. É o fim da picada.

Um escárnio. Um desplante. Uma desfaçatez sem limites.

Somente para recordarmos este episódio funesto, assistam à este vídeo onde o presidente da república, golpista e canalha, participou desta vil e maléfica ópera bufa que causa repugnância em todos os jundiaienses:

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

AMICUS CURIAE ! ! !

" Amigos da Corte "; ou então se vocês preferirem o ditado brasileiro: "Aos amigos, tudo; aos inimigos, os rigores da lei".

Na edição de 12/05/2017 da Imprensa Oficial do Município foi publicada a nomeação de Fábio Aurélio Teixeira Lusvarghi como o novo Diretor do Departamento de Licenciamento de Obras da prefeitura.

Informações que chegaram a este blog dão conta de que este cidadão comissionado, que já ocupou esse cargo em várias oportunidades, teria sido indicado pelo deputado federal Miguel Haddad.

Nestas informações constavam ainda que este diretor já teria assinado e aprovado vários processos da área de engenharia pública, com inúmeros deles ligados a empreendimentos do mesmo deputado e seus familiares.

O Ato Normativo nº 4, aprovado em 23 de agosto de 2010 pelo CREA-SP - Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Estado de São Paulo, dispõe o seguinte:

"...Art. 1° - Os processos de aprovações de projetos nos órgãos públicos, autarquias e concessionárias municipais, estaduais e federais, deverão ter a participação efetiva de profissional legalmente habilitado, registrado no Sistema CONFEA/CREA e com atribuições compatíveis ao tipo de projeto que está sendo analisado.

Parágr. Único - O profissional, seja qual for seu regime de contratação, responsável pela análise e aprovações dos projetos nos órgãos públicos, autarquias ou concessionárias, deverá recolher a ART de cargo e função técnica, sendo recolhida a taxa mínima, em conformidade com Resolução do CONFEA que trata sobre os valores das taxas de registro de ART nos CREAs..."


Resumindo: Para assinar ou aprovar processos ligados à engenharia esta autoridade tem de ser engenheiro.

Acontece que o senhor Fábio Aurélio Teixeira Lusvarghi, novo Diretor de Licenciamento de Obras de nossa prefeitura, não é engenheiro e sim um técnico em edificações.

Isto quer dizer que ele não tem atribuições legais para assinar e aprovar processos de engenharia, segundo define o Ato Normativo nº 4 do CREA.

Diante desta situação toda, protocolamos uma representação junto ao Ministério Público do Estado de São Paulo relatando os fatos e pedindo as seguintes providências:

1) A destituição do cargo do referido diretor pelo fato dele não possuir atribuições legais para assinar e nem aprovar processos de engenharia.

2) A anulação de todos os processos assinados pelo referido diretor por ele não ter atribuições legais para isso.

Diante dos fatos e aceitando a nossa argumentação, o Ministério Público do Estado de São Paulo instaurou um Inquérito Civil que leva o número 14.0670.0002917/2017-7 que estará a cargo do 12º Promotor de Justiça de Jundiaí, Dr. Fabiano Pavan Severiano.

Este inquérito terá como objetivo a coleta de provas para instruir uma eventual ação de responsabilidade civil por improbidade administrativa.

Quando houver uma decisão do Ministério Público sobre este melindroso assunto estaremos divulgando aqui no blog.

terça-feira, 5 de setembro de 2017

ENGANA TROUXA ! ! !

Após quase um ano de mandato o governo do PSDB permanece com esta ladainha de que não tem dinheiro, de que tudo isso é culpa do prefeito anterior que deixou R$ 90 milhões de dívida, que não tem as condições necessárias para investir, etc...

Esses caras de pau se manifestam como se não tivessem nada a ver com isso. Então vamos à verdade dos fatos.

Segundo informou o jornal Folha de São Paulo do ano 2000, a prefeitura de Jundiaí possuía uma dívida até 2030 de R$ 171,6 milhões. Esta dívida representava o equivalente a quase 50% do orçamento previsto naquele momento para o ano de 2001, que era de R$ 350 milhões.

Além disso, o governo Miguel Haddad na época estava abalado por pelo menos 52 denúncias de irregularidades em sua administração.

O tempo passou e o buraco só aumentou graças aos desmandos tucanos.

Vale lembrar aqui novamente que o atual secretário de finanças, José Antonio Parimoschi, deixou ao final de 2012, para o seu sucessor, uma dívida de R$ 350 milhões. Em 10 anos a dívida dobrou. Um escândalo !!!

É preciso ressaltar também que uma prefeitura, que diz não ter dinheiro para nada, não pode gastar R$ 50 milhões por ano apenas com despesas relativas aos cargos de confiança. Em quatro anos serão R$ 200 milhões.

Estes são os "grande gestores" do PSDB propagados pela maioria de nossa vil, triste, sabuja e vendida imprensa.

Porém, uma situação ainda mais grave foi criada pelo próprio PSDB.

Durante a sua catastrófica administração, o ex-prefeito Miguel Haddad fez aprovar na Câmara Municipal uma lei que autorizava um acréscimo de 25% em todos os contratos assinados pela prefeitura.

Assim sendo, foi instituído no município o superfaturamento contratual oficial e legal de 25% aprovado no legislativo pelos governos do PSDB.

Oras bolas, se a prefeitura está sem dinheiro, como diz o atual governo, eles deveriam, no mínimo, revogar esta lei para poderem aumentar toda a capacidade de investimento do executivo municipal.

Mas nada disso interessa, não é mesmo ? O que importa é a politicagem tucana de cada dia visando apenas a próxima eleição.

sábado, 2 de setembro de 2017

TUDO DE NOVO ?

***** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

Apenas lembrando aos amigos deste blog que na época da falência do Banco Cruzeiro do Sul, onde ficaram congelados investimentos do nosso IPREJUN, o presidente do instituto era o mesmo que foi reconduzido ao cargo atualmente pelo prefeito Luiz Fernando Machado, do PSDB.

Na época deste prejuízo o prefeito era Miguel Haddad, do mesmo PSDB.

A única dúvida que fica neste momento é por que os tucanos tem tanta raiva do dinheiro do servidor público municipal.

terça-feira, 29 de agosto de 2017

JUNTOS PARA SEMPRE ! ! !

FOTO: Os ex-prefeitos Miguel Haddad e Pedro Bigardi, novos, alegres e felizes parceiros de lutas em Brasília a favor do governo do verme e desprezível presidente Michel Temer.

Na política de hoje não existe mais o preto e o branco. Tudo começa a adquirir um tom cinzento e turvo onde não existem mais diferenças de posições, de ideias e de ideais. É tudo uma coisa só. Uma massa amorfa, podre, fétida e embolorada.

Recentemente o ex-prefeito Pedro Bigardi, que sempre se colocou como opositor ao PSDB, foi nomeado assessor de diretoria dos Correios. Isso quer dizer que ele passará a apoiar o governo do golpista Michel Temer, da mesma forma que o faz, sem o mínimo constrangimento, o nefasto e pusilânime deputado federal Miguel Haddad.

Trocando em miúdos: Os ex-prefeitos, outrora rudes adversários, Miguel Haddad e Pedro Bigardi, estão agora sentados lado a lado a favor deste governo natimorto do parasita presidente Michel Temer.

Apenas lembrando que o governo Michel Temer autorizou que empresas de mineração explorem comercialmente os cerca de 47 mil quilômetros quadrados de florestas da RENCA, uma área maior que todo o território da Dinamarca, localizada entre os estados do Amapá e do Pará.

A ação irá destroçar todo o ecossistema provocando danos irreversíveis à Amazônia, além de afetar as terras Indígenas. O governo Temer quer acelerar a venda de minérios, entregando o nosso solo a preço de mera banana, para países como a China, querendo estancar a sangria de seu desgoverno pouco se lixando para os interesses do povo brasileiro.

E os dois ex-prefeitos de Jundiaí estão abraçados e de mãos dadas em apoio a todo este lixo político que tomou conta de Brasília.

Para completar esta tragédia: O golpista Michel Temer vai viajar para a China assumindo a presidência da república o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, citado na operação Lava Jato.

No lugar de Rodrigo Maia assume a presidência da decrépita Câmara dos Deputados o eminente e inestimável deputado federal Fufuca.

Um país desse não pode dar certo !!!

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

ESCOLA SEM PARTIDO ! ! !

Na última sessão da Câmara Municipal ocorreu um tumulto generalizado devido à alguns energúmenos que defenderam esta proposta ridícula e desprezível da chamada " Escola Sem Partido ".

Vale lembrar que este projeto tem objetivo de cercear toda a liberdade de consciência, de crença e de aprender dos alunos.

Mas o pior de tudo isso aconteceu com o nosso legislativo.

Pasmem os amigos deste blog, o vereador Antonio Carlos Albino, do PSB, já protocolou um projeto de lei defendendo a " Escola Sem Partido ".

Pelo jeito o nobre edil não tem nada para fazer em nossa casa de leis.

Aliás, ao invés do vereador perder tempo com este tipo de projeto, ele deveria esclarecer à cidade uma situação muito estranha que envolveu a sua prestação de contas quando se elegeu.

Na condição de candidato, o vereador declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de R$ 1.958.897,75. Já como vereador eleito, ele declarou à Câmara Municipal de Jundiaí, apenas 3 meses depois, um patrimônio de módicos e modestos R$ 4.530.000,00.

Sinistro, muito sinistro tudo isso. O vereador deve explicações à toda a cidade sobre esta situação enigmática.

Confiram abaixo esta incrível discrepância patrimonial:

***** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO *****

Prestação de contas à Justiça Eleitoral - R$ 1.958.897,75


Prestação de contas à Câmara Municipal - R$ 4.530.000,00

terça-feira, 22 de agosto de 2017

VERGONHA TOTAL ! ! !

A imagem desta professora de Santa Catarina representa o exato retrato da situação da educação pública no país: Uma catástrofe.

O aluno que esmurrou o rosto desta educadora na verdade socou o rosto de todo o lado honesto do país, que vive um pesadelo sem fim.

A situação lamentável da educação assola os três níveis de governo.

A nível federal temos um presidente corrupto e desqualificado ladeado por um ministério repleto de ladrões.

No legislativo, o Congresso Nacional, em sua maioria, é composto pelos vigaristas, estelionatários, pederastas, traficantes e de quadrilheiros de todas as espécies que desfilam leves e soltos em Brasília.

A nível estadual, além do secretário de educação ser um desembargador aposentado que não sabe nada sobre política de educação, o governador Geraldo Alckmin investe pesadamente em contratos de obras do metrô, isto para reforçar o caixa de sua campanha em 2018, abandonando toda a educação estadual à sua própria sorte.

A nível municipal o desastre é maior ainda.

Merenda escolar superfaturada, empresas fornecedoras desta merenda envolvidas com a máfia deste setor e, além das 2.600 crianças na fila das creches na cidade com professores mal remunerados, ainda tivemos um ex-secretário de educação que foi condenado a 3 anos de prisão.

Mas o ponto culminante do descaso com a educação pública local foi a nomeação pelo prefeito Luiz Fernando Machado de um administrador como gestor da pasta, uma pessoa que não tem a menor competência nem para dar aulas na escolinha do Professor Raimundo, que dirá nesta rede de educação complexa como a de nossa cidade.

E assim caminha este país rapidamente rumo ao seu desastroso futuro, onde a educação é tratada pelas autoridades apenas como se fosse um mero " bico " para os professores. Pobre Brasil !!!

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

O CASO DAS COXINHAS ! ! !

No transcorrer do ano de 2013 este blog denunciou o superfaturamento na compra de coxinhas de asa de frango pela prefeitura de Jundiaí para que fossem oferecidas na merenda escolar. Esta grave denúncia acabou chegando ao Ministério Público do Estado de São Paulo.

No final ainda deste ano de 2013, após o trâmite de um Inquérito Civil, o Ministério Público do Estado de São Paulo protocolou no fórum local uma Ação Civil Pública a respeito deste superfaturamento na compra de coxinhas da asa de frango por parte da prefeitura de Jundiaí.

Neste processo o MP apontou que os então secretários Dênis André José Crupe e Durval Lopes Orlato contrataram a empresa Bigotli Entreposto de Carnes e Derivados Ltda. para entregar merenda escolar mediante sobrepreço de 275,47% quando foi comparado com o valor praticado no mercado. O superfaturamento foi comprovado em perícia realizada pelo douto Ministério Público do Estado de São Paulo.

Essa contratação, iniciada no mês de maio de 2013, delimitou o prazo inicial de 12 meses para entrega ininterrupta desse e de muitos outros alimentos atingindo o montante de R$ 24.693.120,00, com o preço da coxinha da asa de frango superfaturado em 275,47%, segundo afirmou a Promotoria de Justiça de Jundiaí.

Em sentença de primeira instância, a então juíza da Vara da Fazenda Pública de Jundiaí, Dra. Fernanda Silva Gonçalves, que julgou esta ação, declarou que não houve o tão alegado superfaturamento decidindo que a ação era improcedente.

O Ministério Público recorreu, é claro, ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo por discordar da decisão de primeira instância.

Em sentença publicada em 31/05/2017, o egrégio Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na pessoa do Desembargador e Relator Dr. Leonel Costa, anulou a sentença de primeira instância emitida em Jundiaí.

Alegou o desembargador e relator do caso que " apurou-se em Inquérito Civil que a empresa vencedora da licitação superfaturou os produtos, especialmente as coxinhas da asa de frango, em mais de 200% do valor de mercado ".

E concluiu: " Diante do exposto, voto por acolher a preliminar de nulidade suscitada nas razões de apelação e desconstituir a sentença ".

Trocando em miúdos: A merenda escolar em Jundiaí foi superfaturada em 275,47%, em um montante de R$ 24.693.120,00, segundo afirmou o Ministério Público com a confirmação do relator do processo no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Para lerem a sentença do TJSP, na íntegra, cliquem aqui.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

MÁFIA DA PROPAGANDA ! ! !

Muitos corruptos e corruptores fazem parte de uma máfia para liberar publicidade ilegal pelas ruas da cidade de São Paulo.

Na prática, fiscais da prefeitura cobram propina para fazer vista grossa para propagandas vetadas pela Lei Cidade Limpa, que entrou em vigor na capital paulista em 2007.

Os valores da propina são tabelados, dependendo de todo o material de divulgação. A maior fonte desse esquema de corrupção é o dinheiro das grandes empresas que querem anunciar lançamentos imobiliários.

Esta máfia chega a movimentar R$ 400 mil em apenas 1 fim de semana.

Os relatos no vídeo abaixo mostram que a "máfia da Cidade Limpa" tem funcionado há muitos anos, mas continua na atual gestão da Prefeitura de São Paulo sob a batuta do prefeito João Dória, do PSDB.

A pergunta que nós fazemos neste momento é a seguinte: Será que este esquema corrupto de publicidade não tem acontecido também em nossa república de coronéis de Jundiaí nos últimos 30 anos ?

Confiram a bombástica reportagem:

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

D E R R O T A D O ! ! !

O deputado federal Miguel Haddad em sua fissura de calar a boca deste blog, sofreu nesta quinta-feira mais uma derrota clamorosa na justiça.

Rapidamente vamos recordar o caso para os amigos entenderem.

No início de 2010 relatamos nesta página a existência de um contrato entre a Fundação Antônio Antonieta Cintra Gordinho e o então prefeito Miguel Haddad e seus irmãos, Riad Haddad e Mountaha Haddad Saheli, no sentido de realizarem um loteamento de 3.000.000 m2 na região da Fazenda Ermida, em Jundiaí.

A Fundação entraria com o terreno e o prefeito e seus irmãos, além de ficarem responsáveis pelos registros do empreendimento na prefeitura, executariam as obras, cujo lucro se aproximaria dos R$ 500 milhões.

Devido àquela publicação, o ex-prefeito e seus irmãos entraram com um processo judicial contra este blog tentando, assim, silenciar este espaço e requerendo danos morais.

Em julgamento de primeira instância, o meritíssimo juiz da 4ª Vara Cível de Jundiaí, Dr. Leonardo Aigner Ribeiro, sentenciou favoravelmente a este blog enaltecendo a liberdade de expressão, o direito de informar e a liberdade de se fazer oposição.

Inconformados com a sentença, o tucano Miguel Haddad e seus irmãos recorreram ao Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, onde foram fragorosamente e de maneira inequívoca, derrotados em suas intenções de nos calar, pois aquela colenda corte paulista manteve a sentença de 1ª instância favorável a este blog.

Já em grau de verdadeira fúria, o ex-prefeito Miguel Haddad e os seus irmãos apresentaram vários recursos ao TJSP, sendo todos rejeitados. Em um último e desesperado esforço, protocolaram um recurso jurídico denominado de " agravo de recurso especial " tentando e conseguindo, pasmem os amigos deste blog, levar o referido processo ao colendo STJ - Superior Tribunal de Justiça em Brasília.

Este Recurso Especial é de Nº 1.601.558 - SP (2016/0004641-0)

Nesta quinta-feira, 10/08/2017, o egrégio Superior Tribunal de Justiça, na pessoa do Ministro Ricardo Villas Bôas Cueva, rejeitou o recurso do deputado Miguel Haddad e seus irmãos, mantendo a decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo a favor deste blog.

Caros amigos, a luta é árdua mas vai continuar. E de forma implacável.

terça-feira, 8 de agosto de 2017

OCULTOS NA ESCURIDÃO ! ! !

Essa história da cobrança da taxa de iluminação pública pela prefeitura está envolvida em muitas dúvidas já há algum tempo.

Diante de várias questões a serem esclarecidas que envolvem o assunto, este blog vem fazendo alguns levantamentos com técnicos do setor para podermos clarear um pouco mais este problema.

Logo no início do mês passado a Unidade de Gestão de Infraestrutura e Serviços Públicos publicou no site da prefeitura algumas ações duvidosas que merecem uma reflexão mais cuidadosa.

Em sua página publicada no dia 03/07/2017, que o amigo pode acessar aqui, a prefeitura alega ter instalado 18 luminárias integradas de 150 W em 200 metros de rede.

Acontece que, segundo os técnicos desta área, os postes da CPFL estão dispostos cerca de 25 ou 30 metros um do outro. Dizer que instalaram 18 luminárias em um espaço de 200 metros é o mesmo que dizerem que foi instalada 1 luminária nova a cada 11 metros.

Segundo os técnicos, as luminárias apresentadas no site não são e nunca foram luminárias integradas. Com respeito às luminárias integradas, elas tem os componentes que fazem funcionar internamente e não acopladas ao poste, como é o caso das luminárias mostradas no site.

Já a Av. Augusta Zori Barade tem aproximadamente 2.300 metros de extensão e para solucionar todo o problema de iluminação daquele local seriam necessárias mais de 70 novas luminárias, ou seja, aquelas 11 que foram divulgadas atenderiam no máximo a um trecho de 350 metros e dependendo das curvas da estrada que são muitas.

Na Rua Balbina Miguel Casoni, no Engordadouro, sempre teve iluminação pública em toda a sua extensão, basta consultarmos as fotos do google de abril de 2017 que facilmente será constatado este fato. E a egrégia prefeitura disse que instalou mais 13 luminárias naquela rua. Muito, mas muito estranho.

Em 2017, a receita da prefeitura com a taxa de iluminação pública será de R$ 25 milhões e a despesa de R$ 19 milhões.

É muito dinheiro para enormes desencontros de informações ao povo de Jundiaí. Com a palavra as autoridades municipais.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

USARAM O GRENDACC ! ! !

É triste esta constatação, mas o GRENDACC foi usado politicamente pelo deputado Miguel Haddad e pelo prefeito Luiz Fernando Machado.

Eles foram apenas fazer pose de bons moços em Brasília ao lado do vil Ministro da Saúde, o engenheiro Ricardo Barros. Estas autoridades foram à capital federal apenas para satisfazer aos seus interesses eleitorais.

O histórico político do deputado e do prefeito todos nós já conhecemos de outros velhos e emocionantes carnavais.

Agora vamos tomar ciência da vida pregressa deste reles ministro.

No dia 10 de fevereiro deste ano, o jornal Folha de São Paulo publicou matéria sobre as finanças do ministro. O título da reportagem: " Com bens declarados de R$ 1,8 milhão, Barros virou sócio de área de R$ 56 milhões ". A compra aconteceu três anos antes e refere-se à metade de área em Marialva, no Paraná.

O ministro disse à Folha que " fez um empréstimo de R$ 13 milhões de seu sócio na transação, uma empresa do setor imobiliário, para bancar o negócio ". Naquele ano, Barros era secretário de Indústria e Comércio do Estado do Paraná, disputou uma vaga de deputado federal e declarou à Justiça Eleitoral o seu patrimônio, informou o jornal.

Ainda segundo a Folha, " no ano seguinte, já deputado, Ricardo Barros apoiou, por meio de um requerimento, a liberação de R$ 450 milhões de emenda da União para a construção de uma rodovia de 32 km que passa a três quilômetros do seu terreno ".

A revista IstoÉ, no dia 24 de fevereiro deste ano, publicou reportagem sobre a ligação entre o ministro e o ex-governador do Distrito Federal, Paulo Octávio. Segundo a revista, " até agora, a única ligação conhecida entre esses dois personagens da política nacional limitava-se à filiação ao mesmo partido, o PP. Mas eles se unem por outros elos que podem explicar por que o ministro da Saúde preferiu fazer um contrato de R$ 31,2 milhões sem licitação para locação do prédio do empresário a fim de abrigar a nova sede da Anvisa ".

Em 2014, a Construtora e Incorporadora Squadro Ltda., de propriedade de Paulo Octávio, destinou recursos para a vitoriosa campanha da mulher do ministro da Saúde, Cida Borghetti (PP), candidata a vice na chapa encabeçada por Beto Richa (PSDB) ao governo do Paraná. Além de engordar os cofres da campanha da mulher de Ricardo Barros, naquele ano, a Construtora e Incorporadora Squadro Ltda. também colaborou com o polêmico irmão da vice-governadora do Paraná, cunhado do Min. Ricardo Barros. De acordo com registros do TSE, esta empresa doou à campanha de Juliano Borghetti (PP) tanto a deputado estadual em 2010, como ao cargo de vereador, em 2008.

Já a filha do ministro, Maria Victória, foi eleita deputada estadual pelo PP do Paraná nas eleições de 2014.

Caros amigos, o prefeito, o deputado e o ministro, é esse tipo de gente que fala em salvar o GRENDACC.

Apenas a título de ilustração, assistam ao vídeo abaixo que mostra toda a revolta dos paranaenses durante o casamento da filha deste ministro, deputada Maria Victória. A rebelião ocorreu pelo fato do nobre ministro ter gasto naquele casamento R$ 2 milhões em festa no suntuoso Palácio Anita Garibaldi, cujo prédio já foi tombado pelo patrimônio histórico do Paraná, porém alteraram toda a sua fachada somente para o casamento da filha de sua excelência o ministro da saúde:

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

PSDB SEM VERGONHA ! ! !

IMPRENSA OFICIAL DO MUNICÍPIO

DATA: 02/08/17

CONTRATANTE: Prefeitura Municipal de Jundiaí

CONTRATADA: BETA CLEAN e SERVICE LTDA.

PROCESSO: nº 32.400-5/13

ASSINATURA: 27/07/17

OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E CONSERVAÇÃO PREDIAL, DE PARQUES E PRAÇAS E SERVIÇOS GERAIS DE APOIO E DE CONTROLE DE ACESSO DE ÓRGÃOS DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ.

VALOR GLOBAL: R$ 20.990.347,20


Vamos fazer de conta que o prefeito Luiz Fernando Machado, do PSDB, e o secretário de finanças José Antonio Parimoschi, deste mesmo partido, estão falando a verdade e assumiram realmente a prefeitura esfacelada.

Neste primeiro semestre já nomearam quase 400 cargos de confiança e que consumirão, até o final deste mandato, a catastrófica e calamitosa quantia de R$ 200 milhões do erário municipal.

Agora, sem o menor constrangimento, eles contrataram esta empresa para fazer a limpeza nos próprios municipais por quase R$ 21 milhões.

Como é que uma prefeitura quebrada, como eles dizem, pode nomear 400 cargos de confiança e rubricar um contrato desta ordem e gastando este montante de maneira descarada ?

Uma hecatombe, um flagelo, uma desdita, um cataclismo, uma praga.

Alguém tem de responder por isso. Não é possível que este governinho nauseabundo atire este desaforo na cara do jundiaiense e tudo fique por isso mesmo como se nada tivesse acontecido.

Fazem e desfazem na nossa cara sem o menor escrúpulo com o dinheiro público. Lamentável. Profundamente lamentável !!!

segunda-feira, 31 de julho de 2017

ADEUS ÀS ILUSÕES ! ! !

FOTO: O prefeito Luiz Fernando Machado massageando o seu ego.

Adeus às ilusões é o famoso filme de 1965 estrelado por Elizabeth Taylor e Richard Burton, tornando-se um dos clássicos de Hollywood ?

Não, não, não !!! O título " Adeus às Ilusões " é uma referência que este blog faz aos 30 anos de governos deste grupo de coronéis que tomou de assalto a política da cidade de Jundiaí.

Um governo no qual o poder político é exercido pelos "nobres" de nossa cidade, pessoas de confiança dos monarcas deste município.

Uma aristocracia onde o poder é confiado aos "melhores" cidadãos, com "melhor" formação moral e intelectual para atender aos interesses deste nosso povo, que nasceu apenas para servir aos senhores da Casa Grande.

Pois bem, caros amigos. Enquanto o lídimo representante da plutocracia jundiaiense, prefeito Luiz Fernando Machado, não para de tirar fotos em festas para as colunas sociais, a população está abandonada a um poder político sempre em representação nesta terra de caudilhos.

Os moradores do bairro Vista Alegre estão em pé de guerra com a nossa prefeitura. Já cansaram de tanto pedir serviços ao executivo sendo que eles sequer recebem resposta por parte das autoridades municipais.

Por exemplo, na rua Júlia Pedro Antônio de Almeida o esgoto corre nas ruas a céu aberto podendo transmitir doenças graves para as crianças do bairro. A prefeitura ? Não está nem aí. A DAE S/A ? Não tem diretoria.

Mas e o povo ? He He He. O povo que se dane. O povo que se lasque.

Como diz o burgomestre que veio da Bahia, agora é a vez do futuro.

Confiram abaixo as fotos do esgoto correndo a céu aberto nesta cidade onde 100% do esgoto é tratado, segundo dizem os mentirosos do PSDB:

sexta-feira, 28 de julho de 2017

CÍNICO E FARSANTE ! ! !

O personagem Pedro Malasartes é tradicional nos contos populares como exemplo de burlão invencível, astucioso, cínico e um sujeito inesgotável de expedientes e de enganos, sem escrúpulos e sem remorsos.

Mas estas "qualidades" não estão presentes apenas em nossa literatura.

Todos estes predicados estão incrustados na vida política desta cidade, principalmente nos últimos 30 anos.

Na edição desta sexta-feira da Imprensa Oficial do Município, o prefeito Luiz Fernando Machado teve a coragem, o desplante, a desfaçatez e um desaforo de nomear mais 34 cargos de confiança em seu desgoverno.

Somando-se aos cargos comissionados já nomeados, vamos chegando aos quase 400 cabos eleitorais que mamam nas tetas do erário e que custam o olho da cara ao contribuinte de Jundiaí.

Oras bolas, o prefeito vive contando em prosa e verso que falta verba, que o alcaide anterior quebrou e faliu a nossa prefeitura. Só que agora, ele joga caminhões de dinheiro pela janela com nomeações políticas.

E não fica nem vermelho de vergonha. Uma lástima. Um escárnio com o nosso dinheiro. Um abuso sem limites.

Como dizia Apparício Fernando de Brinkerhoff Torelly, Barão de Itararé: " O tambor faz muito barulho, mas é vazio por dentro ".

quarta-feira, 26 de julho de 2017

TIRANDO A MÁSCARA ! ! !

FOTO: Luiz Fernando Machado e José Antonio Parimoschi, do PSDB, incompetência em dobro em nosso município.

" Quem não tem competência não se estabelece ".

Este é um antigo ditado a respeito da sociedade brasileira em todos os seus setores de vida social.

Todos nós somos testemunhas vivas de que este ditado está em pleno vigor aqui nesta terra que já foi da uva.

O atual desgoverno municipal insiste na mesma ladainha desde que ele assumiu: " A prefeitura não tem nenhum dinheiro "; ou então, " A culpa é do prefeito anterior "; e outras asneiras que já cansaram.

É mentira que a prefeitura não tem dinheiro. Só no primeiro semestre o executivo municipal já arrecadou R$ 1,5 bilhão.

Além disso, os 325 cargos de confiança nomeados pelo burgomestre vão consumir, entre salários e encargos trabalhistas, mais de R$ 50 milhões por ano. Em 4 anos serão R$ 200 milhões gastos com os comissionados.

Enquanto isso, a educação está abandonada sem material escolar, sem professor e sem gestor. O Hospital São Vicente ainda não pagou o 13º salário que os servidores deveriam ter recebido em dezembro de 2016.

Que o secretário Parimoschi não entende nada sobre educação toda a cidade já sabia. Agora, que ele não entende nada de finanças públicas, isso é novidade, afinal de contas todos nós entendíamos que ele, pelo menos, saberia tomar conta da chave do cofre. Mas nem isso ele sabe.

Assim sendo, o prefeito e o secretário de finanças deveriam pegar o seu boné e ir embora pois estão demonstrando que não conseguiriam nem administrar a boite Tetéia, no memorável Jardim Itatinga em Viracopos, quanto mais uma cidade com a grandeza de Jundiaí.

quinta-feira, 20 de julho de 2017

ENGANANDO SEMPRE ! ! !

O prefeito Luiz Fernando Machado fará a abertura oficial da "Semana do Agricultor Jundiaiense", em homenagem ao Dia do Agricultor. Segundo a nossa administração municipal, o objetivo é destacar a importância e os frutos do agronegócio para a economia jundiaiense.

Ou este governo é ignorante ou quer enganar a cidade de novo.

Falar do agricultor e do agronegócio como se fosse tudo a mesma coisa é um descaramento sem limites. Vamos à realidade dos fatos.

Quando eclodiu a crise econômica na Europa, no início dos anos 2.000, os donos do capital ficaram sem rumo e sem saber onde especular com o seu dinheiro, pois se investissem no velho mundo o risco de perderem o valor aplicado era enorme.

A partir daí começaram a comprar terras no Brasil para especularem com a nossa produção agrícola. Foi a partir de então que as empresas transnacionais obtiveram o domínio da agricultura brasileira.

Nos dias de hoje mais de 80% da produção nacional está nas mãos da Monsanto, Shell, Bunge, Cargill, ADM e outras.

Estas empresas, principalmente a Monsanto, transformaram grandes quantidades de terra em monocultura, praticamente liquidando com a estrutura agrária do Brasil.

O país produz hoje em grande escala apenas milho, soja, cana de açúcar e carne. Chegamos ao cúmulo de importarmos feijão da China, arroz da Tailândia, em um país de dimensões continentais como o nosso.

A Monsanto, inclusive, criou a produção de milho e soja transgênicos, o que é um crime. Para que o milho e a soja se transformem em alimentos transgênicos à eles é misturado um herbicida chamado Roundup, que é fabricado pela própria Monsanto. Este herbicida, segundo laboratórios de renome internacional, é altamente cancerígeno.

E agora vem o prefeito Luiz Fernando Machado dizer que o agronegócio é importante para a economia jundiaiense, desprezando toda a miséria e a penúria em que vive o nosso agricultor.

As autoridades devem ter um pouco mais de cuidado com o que falam. Se não sabem nada sobre o assunto, que pelos menos estudem ou leiam alguma coisa para não correrem o risco de falar bobagem.

terça-feira, 18 de julho de 2017

SÓ FALTAVA ESSA ! ! !

O deputado federal Miguel Haddad depois de votar sistematicamente contra os interesses do povo brasileiro, agora apresenta um projeto surrealista que só poderia partir de um político completamente ausente e dissociado da realidade brasileira.

O medíocre tucano quer implantar um Disque Denúncia especializado em corrupção na administração pública para que as pessoas relatem crimes no uso do dinheiro público de governos, prefeituras e estatais.

Não, não é gozação. Não. É verdade. Inclusive ele teve a cara de pau de gravar um vídeo sobre o assunto não ficando nem vermelho durante sua fala. Confiram abaixo o descaramento do deputado:



Assim sendo, já que é para denunciarmos atitudes não republicanas no poder público e nas prefeituras, vamos começar é já.

Quando Miguel Haddad era prefeito de Jundiaí o Ministério da Saúde fez uma auditoria na cidade e constatou que 45% das internações do nosso Hospital São Vicente foram cobradas indevidamente, ou seja, cobraram do SUS procedimentos que não realizaram. Isso é fraude.

Quando Miguel Haddad era prefeito, ele emprestou R$ 45 milhões do BNDES para a construção do SITU. Naquela época o jornal Folha de São Paulo denunciou que destes R$ 45 milhões, somente chegaram aqui em Jundiaí R$ 37 milhões. Os outros R$ 8 milhões estão voando pelos céus deste Brasil varonil até hoje.

Quando Miguel Haddad era prefeito uma empresa de sua propriedade e de seus irmãos fez um loteamento de 1,5 milhão de m2 ao lado da CBC, aos pés da Serra do Japi. Ali foram aterrados lagos e nascentes de água, o que pela legislação vigente é crime ambiental inafiançável.

Quando Miguel Haddad era prefeito ele transformou o DAE em S/A vendendo ações preferenciais para cinco de seus secretários na época. A empresa foi criada com um capital social de R$ 20 mil. Seis meses depois os acionistas da DAE S/A, Miguel Haddad e seus cinco secretários, convocaram uma assembléia geral extraordinária onde aumentaram o capital social da empresa de R$ 20 mil para R$ 170 milhões.

Aí está a nossa contribuição inicial ao Disque Denúncia da Corrupção do deputado federal Miguel Haddad, do PSDB. Investigação já !!!

sábado, 15 de julho de 2017

JUNDIAÍ NÃO MERECE ! ! !

FOTO: Essa foto dá náuseas até em um estômago de avestruz !!!

Quanto mais passa o tempo, mais vamos conhecendo o íntimo daqueles políticos que cercam esta cidade apenas em benefício de seus próprios interesses particulares e familiares.

Na foto vemos o atual mandatário do país ladeado pelos seus vassalos.

Um presidente que usa o cargo para massagear seu ego mau cheiroso; um presidente que distribui aos deputados propinas disfarçadas em emendas parlamentares; um presidente que possui amigos que correm pelas ruas com malas com o seu dinheiro; um presidente que entregou o país nas mãos dos banqueiros; um presidente golpista, corrupto, lacaio, vigarista e inimigo do Brasil.

É a esse tipo de escória política que o PSDB de Jundiaí presta seu apoio.

Os tucanos Miguel Haddad e Luiz Fernando Machado mostram com esta atitude que a política não vai além de uma festa paga com o dinheiro público e onde o povo não foi convidado. Um banquete regado ao luxo, enquanto o povo é obrigado a ficar assistindo a este triste espetáculo.

Dizendo uma linguagem bastante clara, essa gente não tem um pingo de vergonha na cara. Enquanto lá em Brasília temos uma escumalha como presidente, por aqui os nossos políticos do PSDB não passam também de uma bodega e que não representam a mais ninguém.

terça-feira, 11 de julho de 2017

TERRA DE CORONEL ! ! !

Estávamos no centro da cidade conversando com um amigo quando um cidadão parou e cumprimentou esse nosso amigo. Depois de rápidas e boas palavras ele começou a contar uma coisa que tinha acontecido.

Disse essa pessoa que já estava com uma passagem de volta para o seu Ceará onde iria retornar ao convívio da família, mas havia acontecido um fato bastante desagradável na cidade.

Ele havia dormido uma noite na rua pois não tinha onde ficar antes de viajar. A certa altura ele foi abordado por dois guardas municipais.

De maneira gentil e cavalheiresca os guardas já lhe deram um choque nos pés para que ele acordasse. Posteriormente, após os seus gritos de costume, um dos guardas pegou uma garrafa de água e molhou a roupa e o cobertor daquele cidadão.

No final do bondoso episódio, os guardas comentaram entre si que era ordem do prefeito arrepiarem os moradores de rua para que eles fossem embora daqui, pois eles deixam a cidade muito feia.

Em primeiro lugar o sujeito em questão não era morador de rua. Mesmo que fosse, esta não é a maneira séria de tratar esta questão.

Este fato lamentável só nos leva de volta às políticas públicas oferecidas aos moradores de rua da Bahia nos velhos tempos do gov. Antonio Carlos Magalhães. Afinal de contas, se o Toninho Malvadeza mandou matar seu próprio genro, que dirá os moradores de rua, não é mesmo ?

Então, meus caros amigos, quer dizer que esta é a política pública para os moradores de rua do governo do PSDB ? Que tristeza, hein ?

Isto nos faz lembrar de uma frase memorável dita pelo grande filósofo contemporâneo, cel. Erasmo Dias, quando foi Secretário de Segurança Pública de São Paulo: " Cassetete não é santo mas faz milagre ".

sábado, 8 de julho de 2017

INVESTIGADO ! ! !

O deputado federal Miguel Haddad está sendo investigado através do inquérito n° 4.496, de autoria do egrégio Ministério Público Federal, que tramita no STF - Supremo Tribunal Federal.

Trata-se de um procedimento investigatório instaurado pela suposta prática dos delitos tipificados no art. 2º, “caput”, e no art. 89, ambos da Lei nº 8.666/93, e art. 319 do Código Penal, que poderiam ter sido cometidos em concurso de pessoas (CP, art. 29).

Estes autos foram distribuídos em 22/05/2017 ao douto Ministro Celso de Mello cujos assuntos são os seguintes:

DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante , DIREITO PENAL | Crimes Previstos na Legislação Extravagante | Crimes da Lei de licitações , DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral , DIREITO PENAL | Crimes Praticados por Funcionários Públicos Contra a Administração em Geral | Prevaricação.

O primeiro despacho do eminente ministro e relator deste inquérito foi publicado em 02/06/2017.

Para lerem o referido despacho, na íntegra, cliquem aqui.

terça-feira, 4 de julho de 2017

GRATA SURPRESA ! ! !

De tanto criticarmos os vereadores que se sucedem em nossa cidade de Jundiaí, finalmente surgiu um nobre edil que cumpre com suas funções constitucionais de fiscalizar o executivo: O " Irmão da Lojinha ".

Porém, bastou o vereador trabalhar com a seriedade necessária que a maioria dos demais parlamentares já se insurgiram contra ele.

O cúmulo aconteceu recentemente quando o presidente do legislativo perguntou se o " Irmão da Lojinha " não queria pendurar uma melancia no pescoço para aparecer.

A seriedade incomoda, não é mesmo ? Ainda mais quando a maioria dos vereadores não passam de meros sabujos do prefeito.

Não satisfeito com o seu eficiente mandato, o " Irmão da Lojinha " foi a Brasília na semana passada para cumprir duas audiências marcadas por ele previamente com as lideranças de seu partido.

Uma com a senadora Marta Suplicy, do PMDB, e a outra com o líder do PMDB na Câmara dos Deputados, deputado federal Baleia Rossi.

O vereador foi debater com os líderes do PMDB a situação do hospital do GRENDACC e a necessidade do governo federal contribuir para a solução dos problemas daquela organização hospitalar.

Ao sair destas audiências o nobre vereador recebeu o compromisso dos parlamentares de que iriam interceder junto ao governo federal para a necessária ajuda ao GRENDACC.

Isso quer dizer o seguinte: Se o governo federal destinar algum recurso financeiro ao hospital do GRENDACC, isto será devido à mobilização do esforçado vereador " Irmão da Lojinha ".

Já este reles deputado federal Miguel Haddad deverá continuar com sua caminhada onde é o useiro e vezeiro em utilizar as entidades públicas e privadas apenas a favor de seus pífios interesses políticos pessoais.

Assistam ao vídeo abaixo gravado em Brasília pelo combativo vereador:

sábado, 1 de julho de 2017

GESTORES DE ARAQUE ! ! !

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DE SÃO PAULO

SEGUNDA CÂMARA – SESSÃO: 06/06/2017

TC-002140/003/08

Contratante: Prefeitura Municipal de Jundiaí.

Contratada: Companhia de Informática de Jundiaí - CIJUN.

Autoridade que firmou o Instrumento: José Antonio Parimoschi (Secretário de Finanças).

Objeto: Prestação de serviços técnicos especializados visando à implantação de sistema informatizado de geoprocessamento, integrando todas as Secretarias à base cartográfica única e interagindo de forma automática com o Sistema Integrado de Informações Municipais - SIIM.

Em Julgamento: Termo de Prorrogação e Rerratificação celebrado em 01-10-09. Justificativas apresentadas em decorrência de assinatura de prazo, nos termos do artigo 2º, inciso XIII, da Lei Complementar nº 709/93, pelo Conselheiro Renato Martins Costa e Conselheiro Claudio Ferraz de Alvarenga, publicada no D.O.E. de 01-05-10 e 04-07-12.


Dando continuidade aos 30 anos de desgoverno do pífio PSDB, o egrégio Tribunal de Contas do Estado de São Paulo declarou irregular mais um contrato assinado pela prefeitura.

Dentre a argumentação daquela colenda corte, destacamos o seguinte:

"...No caso em apreço, as alterações foram provocadas pela patente falha no projeto básico e falta de planejamento por parte da Prefeitura, levando à necessidade de diversas e profundas alterações no contrato original, desfigurando o objeto inicialmente contratado. A própria Contratante, em suas justificativas (fls. 289), admitiu a deficiência no projeto básico e que as alterações foram levadas a termo para corrigir os equívocos da etapa de planejamento..."

"...Conforme os elementos dos autos, o motivo que ensejou as alterações efetivadas pelo Termo de Aditamento foi falha de planejamento e não fatos posteriores, com a inserção e supressão de serviços que alteraram totalmente o objeto contratado originalmente, não se enquadrando, portanto, na previsão do artigo 65 da Lei nº 8.666/93..."

"...Ante o exposto, acompanho as manifestações dos Órgãos desta Corte e VOTO pela IRREGULARIDADE do Termo Aditivo de Prorrogação e Rerratificação firmado entre a Prefeitura Municipal de Jundiaí e a Companhia de Informática de Jundiaí, com acionamento dos incisos XV e XXVII do artigo 2º, da Lei Complementar nº 709/93."

DIMAS EDUARDO RAMALHO
CONSELHEIRO


Este é mais um fato que comprova que esta imagem de bons gestores é enganosa, fruto de uma propaganda mentirosa veiculada em nossa vil e vendida imprensa de Jundiaí.

Para lerem a sentença do TCE-SP na íntegra cliquem aqui.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

RELES LEGISLATIVO ! ! !


FOTO: Miguel Haddad, Gustavo Martinelli e Luiz Fernando Machado. Apoio ao governo corrupto e golpista do desprezível Michel Temer.

Quando a nossa república foi proclamada em 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca instalou no Brasil os três poderes. São eles o executivo, o legislativo e o judiciário.

Apesar de ainda na Antiguidade o filósofo grego Aristóteles ter intuído a primeira noção da divisão de poderes na política, quem apresentou uma formulação definitiva e consolidou essa teoria foi Montesquieu em 1748, onde o poder legislativo era o órgão encarregado da elaboração das leis.

Na teoria tudo é muito bonito. Porém, quando voltamos os nossos olhos para a triste realidade em que vivemos, a desencanto é total.

Não vamos aqui comentar sobre o legislativo federal que transformou-se em um covil de lobos. Não. A grande imprensa já está retratando toda a fanfarronice da política federal.

A lástima mais próxima de todos nós é a Câmara Municipal de Jundiaí.

Na última sessão do legislativo local chegou-se ao cúmulo do presidente da casa, vereador Gustavo Martinelli, mandar seu colega pendurar uma melancia no pescoço por entender que ele estava querendo aparecer.

Só fazendo um parênteses, a bancada de vereadores do pífio PSDB local, juntamente com o deputado Miguel Haddad, declararam total apoio ao governo Temer que está afundado em um mar de corrupção.

Que porcaria de política é essa ? O que essa gente está fazendo com o nosso dinheiro ? Até quando vai durar essa papagaiada ?

Pois é. Diante deste descalabro todo, alguém poderia dizer que a cidade está avançando pois temos 13.918 leis em vigor.

Conversa fiada. O legislativo, hoje, não passa de um cartório que apenas carimba sem discussão tudo o que o prefeito manda aprovar. Nada mais.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

SEM EDUCAÇÃO ! ! !


FOTO: Luiz Fernando Machado e José Antonio Parimoschi, em reunião recente, colocaram o dedo nas caras dos diretores e coordenadores da rede municipal de educação em um ato profundamente lamentável.

Informações chegaram a este blog dando conta da seguinte situação.

Na semana que passou o secretário municipal de educação de Jundiaí, que é só um administrador, reuniu-se com as coordenadoras de escolas municipais. Como o referido gestor, que tem em suas mãos a chave do cofre, não sabe bulhufas sobre educação e também não a tem, gritou, humilhou e afirmou que o cargo de coordenadora escolar é totalmente dispensável nas escolas deste município.

Alguns dias depois ele reuniu-se com as diretoras desta rede municipal. Somando-se ao pagador da prefeitura estava o prefeito Luiz Fernando Machado. Novamente, tomado de completa falta de educação, o nobre secretário gritou, xingou, humilhou, apontou dedo para as diretoras e sem um mínimo de respeito às profissionais rugiu sem constrangimento.

Neste momento assume a palavra o alcaide, que também não entende nada de educação, e tenta colocar a sua opinião sobre o assunto para validar o seu assessor financeiro que tem a chave do cofre.

Resumo desta ópera: O prefeito não convenceu ninguém, desconversou e encerrou a reunião como um autêntico burgomestre medieval.

Oras bolas, os diretores e coordenadores que passaram a sua vida toda dentro da escola, alguns com mestrado e doutorado em educação, são obrigados a engolir a fúria de dois políticos carreiristas e que vivem às custas da política e do dinheiro público.

Aí está uma das explicações do porque as crianças estarem chegando à 5ª série como analfabetas funcionais. Um sistema de educação com um orçamento de R$ 500 milhões ao ano, com 4.000 servidores e com um canal de televisão educativo, dirigido por figuras dantescas como este prefeito e seu fiel escudeiro secretário, só poderia ter este resultado.

Um governo que trata a educação desta forma não pode ser sério.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

MERENDA DOS MILHÕES ! ! !

****** CLIQUE SOBRE A IMAGEM PARA AUMENTAR DE TAMANHO ******

IMAGEM: Site da empresa Conser Comércio de Alimentos e Serviços Ltda. mostrando que a prefeitura de Jundiaí é uma de suas clientes.

Semanalmente temos o hábito de ler as edições da Imprensa Oficial do Município de Jundiaí. Dentre as muitas publicações daquele veículo estão os inúmeros contratos e empenhos entre a prefeitura local e a empresa Conser Comércio de Alimentos e Serviços Ltda. cujo objeto é o fornecimento de vários itens para a merenda escolar nesta cidade.

Apenas por curiosidade fomos ao google para conhecermos a história pregressa desta empresa. Uma tragédia total. Confiram.

A Justiça Federal em Campinas decretou a indisponibilidade de bens do prefeito de Vinhedo, Jaime César da Cruz, do PSDB, e de outros 14 réus em uma ação de improbidade administrativa ajuizada pelo douto Ministério Público Federal. Eles se envolveram em um esquema de fraude em licitações e superfaturamento de vários produtos destinados à merenda escolar daquele município entre 2011 e 2013.

O esquema consistia no conluio de várias empresas que fraudavam as licitações para a compra de merenda destinada às escolas da rede municipal de Vinhedo. Diferentes companhias pertenciam aos mesmos sócios ou a membros da mesma família, o que permitia o lamentável direcionamento das concorrências. A prática possibilitava ainda o superfaturamento dos itens, que chegou a 587% em relação aos preços de mercado. Um assalto ao dinheiro público.

Entre as empresas participantes deste esquema está a Conser Comércio de Alimentos e Serviços Ltda., que tem contratos para fornecimento de merenda escolar com a prefeitura de Jundiaí. É lógico que os gestores municipais jamais darão um pio sequer sobre esse assunto.

Para ler a petição inicial do Ministério Público Federal clique aqui.

Para ler a sentença da referida Ação Civil Pública clique aqui.

Apenas para refrescarmos a nossa memória assista à este vídeo que, apesar de antigo, mostra claramente como é tratada esta questão da merenda escolar por este país afora. Uma vergonha: