domingo, 15 de novembro de 2009

LIBERDADE: ABRE AS ASAS SOBRE NÓS ! ! ! ( II )

No dia 15 de novembro de 1889 o Mal. Deodoro da Fonseca dirigiu-se ao Campo de Santana, no Rio de Janeiro, para destituir todo o gabinete de Ouro Preto no Ministério da Guerra. Posteriormente, seguiu para o centro da cidade onde o povo já o esperava. Alí foi proclamada oficialmente a República. Naquele ato era destituído o regime da família Orleans e Bragança e no seu lugar passava a prevalecer a Res pública (coisa pública). Passaram-se 120 anos desde então. Neste tempo todo, a quantas anda a Res pública ? Maltratada. Vilipendiada. Esquecida. O que vale hoje, caros amigos, são os interesses das corporações, das empreiteiras, do balcão de negócios em que se transformou a vida pública em todos os níveis de governo. Aqui em Jundiaí, a Monarquia sequer terminou. Se durante o Império prevalecia a vontade da família Orleans e Bragança, aqui na cidade, hoje, prevalecem as vontades de duas famílias. Pior do que isso. A Res pública em Jundiaí nunca, na história do município, foi tão pisoteada como nos últimos 20 anos. Diante disso, é necessário que as pessoas de bem de Jundiaí incorporem o espírito de mudança de Deodoro da Fonseca, para colocarmos um ponto final nesta monarquia fora de hora em que vivemos. Se Deodoro moldou sua iniciativa no espírito republicano que rondava o coração do povo da época, devemos todos nós basearmos a proclamação da Res pública em Jundiaí na necessidade de se colocar um fim nesta política oligárquica e patrimonialista que reina na cidade. Se o Mal. Deodoro da Fonseca é considerado um dos construtores do Brasil, cabe a todas as pessoas honestas desta cidade colocarem mãos à obra e reconstruirem Jundiaí em cima do fim do coronelismo político local representado pelo PSDB.

7 comentários:

Anônimo disse...

Permita-me transcrever parte de um post publicado no http://rotamogiana.blogspot.com/2009/06/democracia-e-viver-na-pluralidade-em.html de autoria do professor Alberto Nasiasene

Democracia é viver na pluralidade em meio as diferenças e aceitar os outros pontos de vistas

Nenhuma ditadura é branda.

É muito importante perceber que, para aperfeiçoarmos a democracia que temos, não podemos pensar que tudo não passa de "falta de consciência" das massas em relação aos velhos coroneis (a la Jorge Amado, em novelas da TV Globo, como Gabriela ou O Bem Amado) nordestinos (sem enxergar os velhos coroneis campineiros) e, por isto, nós, que seríamos "uma elite intelectual" temos o dever de "formar opinião". Esta não é somente uma visão ingênua sobre a realidade, é também uma visão que revela muitos preconceitos questionáveis.

Não é só porque sou nordestino e fico ofendido sim, e humilhado, algumas vezes, com um preconceito como este, o de que tudo o que é atrasado na sociedade política brasileira ocorre por causa dos nordestinos (a baianada, gíria tão ao gosto dos paulistas) e porque não suporto o desprezo altamente preconceituoso dos paulistas atucanados com respeito ao sindicalista que só tem o primário e quatro dedos em uma das mãos, pernambucano que se retirou do agreste para vir morar, primeiramente, em uma favela em Santos, antes de se tornar torneiro mecânico e, depois, líder sindical e político (falando "menas" coisas importantes e poliglotas como o FHC). Fico inquieto também por causa da enorme ignorância arrogante daqueles que se referem à nossa complexa história como se ela fosse algo que pudesse se resumir a uma frase de efeito. É impressionante como velhos chavões e antigos modos supostamente superados de pensar nossa realidade e nossa história ainda estejam tão em voga em nossos dias, em pleno século XXI. Por isto é que me preocupo com a possibilidade de grandes retrocessos (aliás, no nada admirável mundo novo tão propalado pela ideologia neoliberal que devastou, feito um furacão, a sociedade brasileira desde a eleição de Fernando Collor, em 1989, com o forte apoio das elites dominantes do centro-sul e da grande imprensa brasileira, é preciso não esquecer, estava embutido também no pacote a escravidão que está aí , em todas as partes do Brasil e no mundo, a nos lembrar que sempre são possíveis grandes retrocessos, como a volta da escravidão).

Anônimo disse...

Em comemoração ao anivérsario da Proclamação da República veja:

Ipea realiza curso em parceria com Dieese, Diap e SEESP

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) promove na capital paulista o Curso de Economia para o Movimento Social, em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) e o Sindicato dos Engenheiros de São Paulo (SEESP). O encontro, dos dias 16 a 19 de novembro, em São Paulo, pa rtiu de uma demanda dos movimentos sociais e ocorre por ocasião do aniversário de 45 anos do Ipea. O objetivo é aprofundar conhecimentos sobre temas econômicos-sociais e suas análises e pesquisas em diversas áreas, como macroeconomia, meio ambiente, trabalho e relações internacionais.

Mediante inscrições até o dia 12 de novembro, podem participar integrantes do movimento social. Os interessados devem encaminhar e-mail para Adelina Lapa (adelina.lapa@ipea.gov.br, 61-33155249), da Assessoria de Comunicação do Ipea, com as seguintes informações: nome completo, telefone de contato e organização à qual está vinculado. O curso será no SEESP (Rua Genebra, 25, 1º and ar , Bela Vista).



O Ipea é uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros.



PROGRAMAÇÃO





16/11 (segunda-feira)



8h – Credenciamento



8h30 às 9h – Abertura Ipea/Dieese/ SEESP e Diap



9h às 10h30 - Macroeconomia, financeirização, indicadores econômicos e emprego

João Sicsú, diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Ipea



10h30 às 11h – Intervalo



11h às 12h30 – Economia: Estado, nação e desenvolvimento

Marcio Pochmann, presidente do Ipea





17/11 (terça-feira)



9h às 10h30 - Agricultura e questão da terra – Abastecimento e exportação

Brancolina Ferreira, técnica da diretoria de Estudos e Políticas Sociais do Ipea



10h30 às 11h – Intervalo



11h às 12h30 - Infraestrutura e energia – Petróleo, eletricidade e fontes renováveis

Marcio Wohlers, diretor de Estudos e Políticas Setoriais, Inovação, Produção e Infraestrutura (Diset) do Ipea, e Fabiano Pompemayer, técnico da Diset





18/11 (quarta-feira)



9h às 10h30 - Economia do trabalho, inovações tecnológicas e impactos sobre a renda e o emprego

Clemente Ganz Lúcio, diretor técnico do Dieese



10h30 às 11h – Intervalo



11h às 12h30 - Seguridade social e finanças públicas

Jorge Abrahão de Castro, diretor de Estudos e Políticas Sociais do Ipea





19/11 (quinta-feira)



9h às 10h30 - Desenvolvimento e sustentabilidade ambiental

José Aroudo Mota, técnico da Diretoria de Estudos e Políticas Regionais, Urbanas e Ambientais do Ipea



10h30 às 11h – Intervalo



11h às 12h30 - Inserção internacional e integração latino-americana

Giorgio Romano Schutte, técnico da Diretoria de Estudos, Cooperação Técnica e Políticas Internacionais do Ipea



LOCAL: Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP) – Rua Genebra, 25, 1º andar, Bela Vista (SP).

TELEFONE: (011) 3113-2651

Anônimo disse...

VEJAM!!!!

EM JUNDIAÍ QUEM IRÁ PARTICIPAR????

No governo Lula, existem alguns setores e algumas personalidades "marcadas para apanhar" da imprensa.

Exemplos:

- Marco Aurélio Garcia (assessor especial para assuntos internacionais) - odiado por não abrir mão de ser de esquerda, e de costurar acordos com governos progressistas na Amétrica Latina; e

- Marcio Pochmann (presidente do IPEA - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) - odiado porque mudou a cara do IPEA (em vez de ceder salas do Instituto para que economistas liberalóides façam campanha contra o Estado e contra a Previdência Social, como ocorria, Pochman transformou o IPEA em ferramenta para o desenvolvimento).

Pochmann (foto) mostra, mais uma vez, como as coisas mudaram no IPEA. O Instituto anuncia, para a semana que vem, um curso gratuito para formar e qualificar lideranças de movimentos sociais. Vai acontecer em São Paulo. O curso, repito, é GRATUITO!

O curso inclui palestra com Pochmann mesmo, além de João Sicsu e outros economistas importantes - que pensam Brasil fora do formato "vamos fazer a lição de casa", dominante nas últimas décadas.

Priscila disse...

É Caro Cesar amanhã é minha audiência ,o MM JUIZ JEFFERSON mandou uma intimação coercitiva para meu filho menor sem se quer ter cometido qualquer ato infracional,enquanto sabemos e vemos menores na cidade e na região que compete a ele e demais órgãos da crianaça e do adolescente defenderem nada fazerem.Mas como os desafiei e os denunciei cabe a eles perseguirem um inocente.

O que tem haver esse fato com o de a situação de Jundiaí?! Talvez mero exemplo,ou tudo se tratando da inércia e do individualismo pelo fato em questão apenas atingir diretamente a mim e enquanto o de Jundiaí diretamente a todos,mas os dois ninguém mesmo sabendo das irregularidades ninguém fazem nada nem para o coletivo que dizer para ajudar ou ser solidário a uma injustiça individual que podera acontecer com qualquer um no futuro se nada fizermos.

No blog da dona cremilda que denuncia agressões contra alunos na rede pública,ela demonstra e compara o caso da Geisy com os das tantas crianças carentes menores até que chegaram a serem agredidas fisicamente por adultos e o fato de quem a mídia,nem advogados, nem autoridades ,nem o povo e nem a UNE fizeram tanto alarde ou deram tanto apoio,por que sera.

POR QUE MOVIMENTOS COMO PARADA GAY,MOVIMENTOS CONTRA RACISMO,DIAS DAS MÃES,DOS PAIS, NATAL,IDOSO,DIA DO SANTO TAL,DIA DA PARADA EVANGÉLICA ,PASSEATA PARA FAZEREM CICLO VIAS EM SÃO PAULO QUE O POVO FOI ATÉ PELADO NA PAULISTA E DE TANTOS EVENTOS QUE APENAS GERAM SABEM O QUE LUCRO ,VOTOS,AUDIÊNCIA PARA MÍDIA,ESSES QUE O POVO GERALMENTE SE MATA PARA PARTICIPAREM,PERDEM TEMPO PARA DAREM APOIO A COISAS FÚTEIS E QUE NADA AGREGAM PARA UMA MELHORA SOCIAL E HUMANITÁRIA NEM PARA O INDIVIDUAL QUANTO PARA O COLETIVO.

NO CASO DA GEISY GEROU LUCRO PARA MÍDIA,VOTOS PARA POLÍTICOS,E LUCRO PARA ADVOGADOS POIS PROCESSAR O ESTADO NINGUÉM QUER MAS PROCESSAR UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA BEM !!!!O QUE DA DOR DE CABEÇA É MELHOR DAR UM JEITINHO E SE LIVRAR .O QUE DIZER QUE FIZERAM COM JESUS,SE LIVRARAM DELE.

E JUNDIAÍ HÁ QUE NADA MAIS 20 ANOS É POUCO O POVO JÁ SE ACOSTUMOU COM TODAS AS MAZELAS NÃO SÓ GERADAS PELO GOVERNO DE JUNDIAÍ MAS DO PAÍS TODO.POIS O MUNDO NA VERDADE É UM DESCALABRO DESUMANO.EMPURREM COM A BARRIGA QUE NEM NAPOLEÃO.

Anônimo disse...

Tayar, a sua boa vontade é impressionante. Mas como mudar o comportamento das coisas nesta cidade com uma oposição tacanha, incompetente e dividida como a nossa? Antes de tudo, temos que iniciar um trabalho visando a união do PSB, PT, PC do B, o teu partido,entre outros, para pensarmos em alguma coisa. Temos que fazer a lição de casa, convencendo a oposição a se unir, deixando de lado as mazelas e pequenas questões pessoais. Caso contrário nem o Mal. Deodoro voltando do túmulo resolve o problema do Brasil e de Jundiaí.

Priscila disse...

MENSAGEM Nº 148 : 16/5/2004 - DOMINGO - MANHÃ
PR. MIGUEL ÂNGELO JÚNIOR

TEMA: FÉ, AUTORIDADE, CONFISSÃO E ATITUDE – DOMINGO – 16/05/2004 – 0148 – PR. MIGUEL ÂNGELO JÚNIOR.

TEXTO: 1 Pedro 3:15 "antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós,".

Meu amado irmão, minha família espiritual, povo santo e irrepreensível, predestinados e escolhidos em amor desde antes da fundação do mundo, selados para o dia da redenção!

Nessa passagem, o Apóstolo Pedro nos faz um alerta e nos instrui, mostrando o que um filho de Deus enfrenta, quando vive a Bíblia Sagrada e quando pratica o bem.

Às vezes, por fazer a vontade de Deus e por servi-Lo, sofremos discriminação, tentam nos ridicularizar e nos contestar; fazem de tudo para argumentar contra a Palavra do Senhor. Algumas vezes, os ímpios querem ver o nosso mal, esperando uma falha, uma única falha para nos condenar.

PREMIANDO A NULIDADE. disse...

Vem de fora o especialista dizer que não adianta avaliar a qualidade do ensino no Brasil se não for para tomar nenhuma medida. Isso a gente sabe...O Prof.Santiago Cueto, é especialista em educação na América Latina, diz no portal da Globo o óbvio.
Pior que fazer avaliação é pagar por uma avaliação da qual todos sabem o resultado.
Os alunos do Brasil e especialmente de São Paulo não aprendem o mínimo. Está muito mal em relação aos outros países também....Mal aqui e lá fora. Qualquer medida comparativa o Brasil perde longe...
O especialista comete um erro grave, quando declara que salário não resolve problema da má qualidade do ensino, mas que um bom salário atrai os melhores funcionários. Acho que não contaram para ele que aqui em São Paulo o melhor sálário pode até provocar o interesse de bons profissionais, se não houvesse um sistema de pistolão para se contratar um professor. Ele é contratado com o Quem Indica e depois faz um concurso e de forma misteriosa, só ficam os indicados. Os profissionais de fora, e bons, continuam de fora.
Não tendo um QI forte, nada feito. Temos a volta triunfal do pistolão na escola pública.
Os dirigentes Regionais são cabos eleitorais dos deputados e recebem verba que distribuiem como querem...
Fiscalização nenhuma. Fiscalização teria que ser feita por quem paga a conta. Os pais.
Exatamente os pais são alijados do processo.
Um pais onde a verba é suficiente para uma escola de primeiro mundo tem uma escola falida mergulhada na corrupção.
Tanta verba que sobra bilhões, onde o governo divide entre os professores.
Uma escola miserável, verdadeiros escombros e sobra um bilhão de verba.
Essa espetacular "sobra" vai para premiar professores com nome de bônus.
Uma gratificação....Agradecendo o quê ???
PREMIANDO A NULIDADE....


http://cremilda.blig.ig.com.br