sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

MANIFESTO PELA LEGALIDADE ! ! !

O Sindicato dos Metalúrgicos estava lotado, na noite de ontem, para o manifesto realizado pelas forças do bem desta cidade. Após ser anunciada, à tarde, a 6ª cassação de Miguel Haddad, toda a oposição se reuniu para dar início à uma série de ações para que se possa esclarecer a verdade dos fatos em Jundiaí. Isto se deve a um conjunto enorme de mentiras que o tucano cassado vem destilando pela imprensa como um veneno, que aos poucos vai matando direitos fundamentais do cidadão, dentre eles o da informação. Foram apresentadas aos presentes, caso a caso, as 6 cassações que enquadraram a prepotência e a arrogância do PSDB. Depois, as lideranças dos partidos e da sociedade civil fizeram seus discursos mostrando toda a indignação que toma conta da cidade. Por fim, foi lido um manifesto em defesa da legalidade e do cumprimento das sentenças emitidas pela Justiça Eleitoral. Ao final, foi definido que os protestos e esclarecimentos vão continuar. AGORA NAS RUAS DA CIDADE. Amanhã, sábado, a partir das 9:00 horas, no calçadão da rua Barão de Jundiaí, ao lado da praça da Catedral, a sociedade civil dará continuidade ao manifesto de ontem. Para isto, todos estão convocados para estarem, na rua, esclarecendo a população sobre as cassações. A movimentação popular começou em um auditório e vai continuar pelas ruas da cidade até que Jundiaí fique livre, definitivamente, desta república de coronéis em que se transformou o nosso município. Repassem o ato de amanhã para seus contatos.

7 comentários:

Anônimo disse...

gente temos que agitar mesmo.eles querem criar uma confusão enorme para tentar confundir a populaçao.para tentar distrair e confundir , desviando a atenção do foco principal, ou seja jundiaí não tem hoje prefeito pois o eleito foi cassado em 6 processos por irregularidades graves (COMPRA DE VOTOS,USO DA MÁQUINA PÚBLICA,USO DO PODER ECONÔMICO, ETC). Pasmem senhores. vem o senhor Fadigati nos jornais acusando o Pedro Bigardi de uso de caixa 2, isso é uma brincadeira, quem entende muito de caixa 2 são eles. a campanha da oposição como todos viram, foi muito simples e tocada por muitos voluntários e simpazitantes que não mediram esforços para levar adiante a proposta de mudar jundiaí.o senhor fadigati, cabidão na prefeitura, não tem autoridade e nem credibilidade para fazer tal acusação.É VERDADE SIM, JUNDIAÍ VAI CONHECER QUEM É QUEM NA POLÍTICA DE JUNDIAÍ E QUEM SÃO OS FINANCIADORES DO CAIXA 2.

Anônimo disse...

Cassação nº 1 - em 21/09/2008 - Jornal com publicidade do Poupa Tempo

O juiz eleitoral, Marco Aurélio Stradiotto, cassou o registro da candidatura de Miguel Haddad (PSDB). A decisão foi baseada em mau uso de meio de comunicação, em reportagem publicada pelo Jornal da Cidade, edição do dia 3 de setembro - embora outras matérias sejam citadas. A ação foi proposta pelo Ministério Público. O PSDB vai recorrer ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

O juiz baseou-se em reportagem que se referia ao Poupa tempo e ao suposto empenho do candidato em trazê-lo para Jundiaí nos próximos meses. Na ação, várias reportagens deste veículo de comunicação foram anexadas, mostrando um possível privilégio editorial que a candidatura tucana teria recebido em relação aos demais candidatos.

Cassação nº 2 - em 21/11/2008 - Da pesquisa

O prefeito eleito Miguel Haddad (PSDB) foi cassado, em sentença divulgada pelo juiz Marco Aurélio Stradiotto, no processo que investigava irregularidades na realização de uma pesquisa durante a campanha eleitoral. Ainda de acordo com a decisão do magistrado, os quase 100 mil votos feitos pelo tucano serão considerados nulos.

O juiz convocou novas eleições dentro de 20 a 40 dias - até o momento, a diplomação está marcada para o dia 16 de dezembro.

Cassação nº 3 - em 24/11/2008 - Do uso da Guarda Municipal na propaganda de Miguel

Cassação, pagamento de multa, votos anulados e uma nova eleição convocada entre 20 e 40 dias. Este foi o saldo de mais duas sentenças, anunciadas pelo juiz Marco Aurélio Stradiotto de Moraes Sampaio. Ele cassou Miguel Haddad e Luiz Fernando Machado por processos envolvendo a participação da Guarda Municipal no horário eleitoral tucano. Além desse, a chapa também foi cassada no caso que apurava o pagamento de jantar a eleitores durante a campanha. Neste, também corre o risco de perder o futuro mandato José Galvão Braga Campos (PSDB), o Tico, que teve os votos anulados, tal como Marcelo Canale, candidato a vereador pelo PHS durante o pleito, mas que não foi eleito

Cassação nº 4 - em 24/11/2008 - Dos jantares promovidos por Tico e Marcelo Canale

o juiz julgou procedente as acusações de que candidatos a vereador da coligação 'Construindo o futuro', liderada pelo PSDB, pagavam jantares para os eleitores com o objetivo de ouvir as propostas de Miguel e Luiz Fernando. Entre eles, Antônio Augusto Giaretta (PTB) e Robson Marcelo (PR) conseguiram justificar os convites. Já José Galvão Braga Campos (PSDB), o Tico, e Marcelo Canale (PHS) tiveram os votos anulados. Como Tico foi eleito, teve o mandato cassado. Neste processo, Miguel e Luiz Fernando terão de pagar 50 mil Ufirs, cada. Já Tico e Canale vão desembolsar 25 mil Ufirs (R$ 26,5 mil).

Cassação nº 5 - em 25/11/2008 - Dos jantares promovidos por Tico e Marcelo Canale

O juiz Marco Aurélio Stradiotto Sampaio cassou pela 4ª vez, em cinco dias, o candidato a prefeito eleito Miguel Haddad (PSDB) e seu vice Luiz Fernando Machado. A decisão refere-se ao caso das supostas irregularidades em reunião com vigilantes noturnos na campanha tucana. O evento teria sido organizado com ajuda do comando da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

De acordo com o juiz, "houve abuso de poder por parte do delegado Florisval Silva Santos (responsável pela DIG), beneficiando diretamente os candidatos réus". Miguel e Luiz Fernando tiveram novamente os seus votos, conquistados no dia 5 de outubro, anulados e foram multados no valor máximo por serem reincidentes e terão de pagar 50 mil Ufirs (R$ 53 mil).


Tem mais três vindo por aí. É só esperar

Tio disse...

Para quem vai dizer aqui: "Poderia ser melhor". Tudo bem, sempre pode. Mas puxa vida, não reclame.

FOI MUITO BOM.

Todos estamos de parabéns.

Quem não pode comparecer ontem, compareça amanhã e faça sua parte.

Vamos à luta.

Priscila disse...

"Ouvidoria da Câmara dos Deputados
Sra.PRISCILA AP DO NASCIMENTO

Comunicamos o recebimento de sua mensagem, nesta Ouvidoria Parlamentar, tecendo comentários acerca da atuação dos magistrados de Jundiaí - SP.
Gostaríamos, inicialmente, de parabenizá-lo pela iniciativa, que demonstra seu engajamento nas questões de interesse público, ao mesmo tempo em que se revela como importante ato de cidadania.
Consideramos, ainda, relevante, esclarecer a todos os cidadãos e autoridades que nos procuram sobre a real função da Ouvidoria. Trata-se, em verdade, de um canal de comunicação entre a sociedade e a Câmara dos Deputados, sendo que, através de manifestações como a sua, temos a oportunidade de encaminhar aos parlamentares as questões levantadas pelos cidadãos, de forma a subsidiar a análise e votação das proposições que tramitam na Casa.
Aliás, registramos a importância das ações desenvolvidas pela Ouvidoria em casos de repercussão nacional como o cancelamento do abusivo aumento de 91% dos subsídios dos parlamentares, o fim do pagamento das sessões extraordinárias e a diminuição do recesso parlamentar. Tudo isso ocorreu, em grande parte, em resposta à pressão que a sociedade exerceu sobre os parlamentares, através deste órgão. Em atenção a sua situação, cumpre-nos esclarecer que a emenda constitucional 45 criou o Conselho Nacional de Justiça - CNJ, trata-se do órgão competente para receber reclamações contra membros ou órgãos do Judiciário, inclusive contra seus serviços auxiliares, serventias e órgãos prestadores de serviços notariais e de registro que atuem por delegação do poder público ou oficializados.

Continuamos à disposição para atender questões ao alcance das atribuições regimentais deste órgão, sempre que for necessário.

Atenciosamente,

Assessoria da Ouvidoria Parlamentar
Ouvidor-Geral Deputado Carlos Sampaio"

Venho aqui declarar que um movimento político não se deve apenas basear-se em bate-bocas e ofensas, como inclusive fora feito contra minha pessoa por parte de um ANÔNIMO. Posso ser um "saco", mas sou mulher de mostrar a cara, correr atrás dos meus objetivos, sem cobrar os outros, ofendendo e desmerecendo, sendo que essas mesmas pessoas não são capazes de sequer se indentificarem.

O dia 04/12/2008, será uma data que ficará marcada na minha vida, pois fui, com a cara e a coragem, com o pouco de reserva que tinha, em busca de meu objetivo, à Brasília. Mesmo que eu não obtenha êxito, tenho a certeza de que fiz a minha parte. Pois meu limite chegou ao máximo. Agora, deixo nas mãos de Deus, pois só ele tem o poder maior.

Procurem se informar quem foi a pessoa de Chiara Lubich, e principalmente o Sr. Anônimo, adquira um pouco de humildade, e quequando estiver em situação de desespero, possa ter certeza: procure meu telefone e eu lhe ajudarei.

Um abraço.

Bruno Marrone disse...

De acordo com a cavalgadura do ivan`(é com minúscula, mesmo), a passeata será "em protesto às seis cassações" do hexa-cassado. Alguém me explica?

George disse...

A atitude do PMDB não foi orquestrada pelo Fadigatti. Ele não teria pensado em se expôr desse jeito, ridiculamente desse jeito por conta própria. No mínimo, deve ter rolado um papo mais ou menos assim:

(alguém graúdo do PSDB): Ô Fadigatti, Fadigatti meu filho, vê se faz alguma coisa... a coisa tá fedendo e já viu, né? Se o Miguel não entrar, você perde seu emprego.

Fadigatti: Ah, mas com a força que vocês têm isso não vai dar em nada... vamos ganhar no "final das contas".

(alguém mais graúdo ainda do PSDB): Nós não podemos nos expôr... se você quer continuar com a gente, arrume algo útil para fazer contra aqueles que nos atacam. Que tal acusar o Pedro de alguma coisa também? Vamos, mexa esse trazeiro gordo e faça algo. Chame a imprensa e acuse, acuse muito...

Fadigatti: Mas sem provas? Isso seria ridículo, eu passaria por bobo quando descobrissem as mentiras.

(Mesma voz do PSDB): Provas não são problemas, nós arrumamos. E ridículo você já é, portanto, trate de ajudar. Vamos logo!!!!

Anônimo disse...

Deu no BD: o Ricardo Giassetti negou que ele tenha se manifestado? Pô, que cara covarde!! Tinha que assumir. Tudo o que ele falou é verdade. Que decepção! Isto vai pegar mal pra ele em São Paulo.