quarta-feira, 12 de novembro de 2008

20 ANOS DO PAÇO E DAS CARTAS MARCADAS ! ! !

REMOVIDO POR ORDEM JUDICIAL.

9 comentários:

Ro disse...

alem de não terem alvará do corpo de bombeiros, multam muitas empresas por não ter...ou seja faça o que eu falo mas não faça o que eu faço... fora as diversas secretarias que nem certidão negativa de debito tem...um pequeno exemplo: SEMIS essa aí além de não tem nem uma nem outra exige das entidades CND parapoder receber recursos... incrivel a hipocrisia que impera na cidade.

Anônimo disse...

Vai ver que agora eles vão colocar um numero 45

É o que falta

Anônimo disse...

E quem estreiou foi o Walmor. Lembram-se daquela foto do Walmor junto com o Pedro Fávaro com o guarda-chuva, aberto dentro do Paço Municipal.

Anônimo disse...

Esta foto é recente? É o Araken Martinho ao lado? Araken o eterno "em cima do muro" casado com a poeta-pombinha que faz poesia-alpiste? Bacana era o Erazê.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Há males que veem para pior!!!!!

políticos e fraldas devem ser mudadas de tempos em tempos... pelo mesmo motivo.

tenho muita fé que na próxima eleição a oposição (que é bem fraquinha) termine com essa "ditadura"

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
O "vivo"... disse...

Para pensar e a quem interessar.

Dívida Ativa do INSS

EDITORA PANORAMA LTDA - JORNAL DA CIDADE
CEI/CNPJ raiz: 50.969.807/0000-00
Total da dívida: R$ 20.935.323,86

Fonte:
http://www.previdenciasocial.gov.br/pg_secundarias/paginas_perfis/perfil_comPrevidencia_09_04-A.asp

Anônimo disse...

outro dia li algo interessante e logo pensei nos ilustres...
-----------------------------------
Eis uma grande verdade


Encontrei este tópico, sobre um episodio da vida de Alexandre, o GRANDE.
Gostei tanto, que gostaria de dividi-los com vocês. Eis o resumo:

Quando à beira da morte, Alexandre convoca seus generais e seu escriba e
relata a estes seus 3 últimos desejos:

1 - Que seu caixão seja transportado pelas mãos dos mais reputados médicos
da época;
2 - Que seja espalhado no caminho até seu túmulo, seus tesouros
conquistados (prata, ouro, pedras preciosas...);
3 - Que suas duas mãos sejam deixadas balançando no ar, fora do caixão, a
vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, pergunta a
Alexandre a razão destes. Alexandre explica então:

1 - Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão, para mostrar
aos presentes que estes NÃO têm poder de cura nenhuma perante a morte;
2 - Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros para que as pessoas
possam ver que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;
3 - Quero que minhas mãos balancem ao vento, para que as pessoas possam ver que de mãos vazias viemos, e de mãos vazias partiremos.